Avançar para o conteúdo principal

Assaltada mas não Paralisada


Assaltada, mais uma vez. Há quem diga que certas medidas são necessárias, que temos que ajudar na recuperação, que se está a fazer o que se deve. Ora, isto para mim é tudo conversa fiada, não tenho inabilidade de aprendizagem. Posso não ser genial mas lerda é que não sou. Não será esta prosa, nem os assaltos sucessivos à minha retribuição que me paralisarão, pelo contrário, lutarei mais afincadamente.
Quinta-feira estarei, mais uma vez, a fazer greve. Serei a única a fazê-lo naquele lamaçal gélido de toscos, gerido, ainda, pelo mesmo néscio mas, eu, não sou da laia dos que arranjam desculpa para não agir. Muitos há que se andam já a  justificar. Para quê? Todos nós já conhecemos os oportunistas e os falhados, ou não? Não fazem? Eu no lugar deles também não faria. Se lhes deram o lugarzinho de mão beijada para quê lutar? O dinheiro faz falta? Se faz, a mim também, imensa mas, tudo o que consegui foi com sacrifício, é mais um. Eles, governo, ainda se ficam a rir, são uns milhões que metem ao bolso? Ficam? Ficariam se sentissem que me tinham paralisado, que os seus roubos sucessivos e as suas injustas medidas me tinham imobilizado. Há várias maneiras de ver a mesma situação, cada um escolhe a que lhe convêm.
Onde meteram eles o dinheiro que me têm roubado? Dói pagar impostos sobre o que não recebemos, ou não? Já receberam o recibo de Novembro, aquele que menciona o subsídio de Natal? Pagar ADSE, Caixa Geral de Aposentações, IRS, sobre um montante que não se recebe. Todos os descontos foram feitos sobre  o que o estado recebeu, não eu.  Não me admira nada que para o ano vá pagar impostos sobre o subsídio de Férias e Natal, que não vou receber, que me subtraiam ao vencimento os descontos relativos aos ditos. Não se riram eles de, num curto espaço de tempo, nos terem furtado o que levou anos a conseguir? Com isso não se preocupam? Deviam. Solidariedade não é apenas uma palavra, determina acção. Quem não age está impedido de criticar, portanto, comece a comer e a calar porque já não há paciência para ouvir troca-tintas. Há anos que estamos rodeados deles.
Acham que eu sou o quê? Santa? Não sou não! Escrevam, não sou santa! Nem santa nem parva, muito menos cagarolas.
Pensem nisto e actuem, não esperem que os outros dêem a cara e vocês colham os frutos.   
A união faz a força mas para que a força germine tem que haver união. Lógico, não? 
Brown Eyes

Comentários

voz a 0 db disse…
Olá...

És uma louca!! Bem... a contar comigo, somos dois... ainda assim somos muito poucos, e o resultado de tentarmos fazer algo radical seria irmos para um qualquer "manicómio"!!!

Temos que angariar mais loucos para que a dada altura os loucos sejam no mínimo uma massa que meta respeito... aí sim, já não terão ideias parvas de nos enfiar em "manicómios", e aí teremos a hipótese de tentar alterar o rumo desta absoluta MISÉRIA CIVILIZACIONAL.

Admiro-te porque és capaz de escrever tantas palavras... eu fiz copia/cola de um pequeno comentário que fiz noutro blogue e aqui deixei agora também... não sou muito dado a escrever muito!

Muitos bjhs... e vamos lá iniciar o BOICOTE para que o FUTURO seja diferente...
✿ chica disse…
A indignação deve ser mostrada realmente! Não dá pra nos omitir...beijos,chica
Fê-blue bird disse…
Amiga, que força nas tuas palavras,
o meu total apoio a cada uma delas!

A união é algo que os portugueses têm esquecido e agora estamos todos a pagar por esse esquecimento.
Como fui trabalhadora por conta própria durante muitos anos, quando deixei de o ser, não tive direito a nada. E agora nem a baixa tenho direito ( como sabes a minha doença impede-me de exercer a minha profissão).
Portanto o estado a mim nunca me deu nada.
Ao meu marido, funcionário público, ontem ao ver o recibo de vencimento ficou de tal modo revoltado que até as lágrimas lhe vieram aos olhos.
Estamos a pagar a uma data de incompetentes e a alimentar esta canalha por quanto tempo mais?
`Não sei se ainda vamos a tempo, mas a mim também não me calam!
Infelizmente fisicamente amanhã não poderei estar presente, mas estou solidária de alma e coração com todos os indignados e injustiçados deste país.
Como forma de protesto vou colocar uma bandeira portuguesa na minha janela.

beijinhos solidários
Rogério Pereira disse…
"...não esperem que os outros dêem a cara e vocês colham os frutos."

Como isto me diz tanto...

Sou reformado. Sou solidário. Estarei no Rossio.
pinguim disse…
Eu não faço greve, mas gostava de fazer; como estou reformado, a minha greve vai ser ficar em casa.
Mas apoio incondicionalmente as pessoas como tu, que aderem à greve, apesar de eventuais consequências.
Briseis disse…
Cara BrownEyes, admiro muito a tua argumentação e a tua força, mas ainda hoje tive um argumentozito com um amigo acerca da greve. Ele lamentando não ter trabalho para poder fazê-la. Eu trabalhando e achando que não é com estas greves que resolvemos nada. Já tantas foram feitas e sempre que são noticiadas vejo é malandros a baldarem-se ao trabalho e que, quando são interpelados, regurgitam as queixas do costume,os clichés decorados... acho que a greve se vulgarizou porque quase ninguém a faz com a consciência que demonstras. Beijinho
Brown Eyes disse…
voz a 0 db sou tão louca ao ponto de nunca me preocupar com o que os outros vão fazer. Eu faço, ou não, segundo as minhas convicções. No entanto penso que se houver frutos, que não haverá, devia apenas beneficiar quem lutou para eles.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Chica neste momento não dá para ficar no sofá à espera de milagres. Estes só existem para uma camada de pessoas que continua a ser beneficiada. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Fê força não nos falta vamos ver se conseguimos que ela modifique o rumo deste país e se consiga dar mais valor ao ser humano. O fundo da questão é esse: desvalorização completa do ser humano. Há a elite,que recolhe o dinheiro, e os escravos, que vivem para trabalhar para eles. Hoje trabalhamos para pagar impostos e ainda ficamos em divida, o ordenado não chega já para sustentar os impostos que crescem de dia para dia. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Rogério mas é o que eles querem, apenas colher os frutos e entretanto pretendem ficar bem na fotografia e irem guardando os tostões. Perderem nunca, ganharem claro que sim, estão sempre dispostos a arrecadar mais uns tostões. Dizem eles que ganham já tão pouco...E nós? Mas nós estamos lá, a batalhar mesmo que descalços.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
pinguim esperemos que consigamos alguma coisa. Se este ano há já tanta gente a passar grandes dificuldades imagina em 2012, com tantos aumentos, inclusive na luz, e com uma diminuição enorme nos ordenados. Os subsídios há muito que equilibram as contas das famílias, há muito que recebemos menos do que devíamos. Há despesas obrigatórias e ninguém que tomava 7 banhos por semana passará facilmente a tomar 1. Todo o ser humano tem direito ao básico e se trabalha, ou trabalhou, no caso dos reformados, mais direito devia ter. Hoje as despesas obrigatórias, impostas pelo estado para obter receitas fáceis, são imensas. Como se pode poupar hoje? Farto-me de querer diminuir a despesa da luz, agua, etc. Não consigo porque as taxas que me impõem, que não sabemos de onde vêem nem para onde vão, obrigam-nos a despender dinheiro. A taxa dos contadores eram bem menores. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Briseis há sempre quem se aproveite de tudo mas quem faz greve não ganha nada, só perde. É-lhe descontado no vencimento o dia já para não falarmos das represálias que pode sofrer por parte do empregador. Não se consegue nada com as greves? Não se consegue porque o país não pára e não pára porquê? Porque nem todos fazem. Acho que conseguiríamos se as greves fossem durante dias e houvesse uma grande união. Aí sim conseguíamos. Quem estaria disposto a perder dias de vencimento? Muito pouca gente, por isso é que os sindicatos portugueses não tomam um decisão dessas. Eu faria, nem que no mês seguinte comesse apenas batatas. Foi assim que se conseguiram os direitos que temos, a redução do horário de trabalho, os subsídios, etc. Direitos que vamos perder se continuarmos parados. É uma vida de trabalho sem direitos que este pessoal quer para os filhos? Se não....Eu faço e sempre fiz greve com consciência, aliás tudo o que fiz na minha vida foi conscientemente, até os grandes erros. Nunca me deixei levar por ninguém, não é por acaso que temos cérebro, não é? Falas em Malandros, B malandros para mim são, sem dúvida, os políticos, esses é que o são e permitem que alguns lhe sigam os passos. Há quem roube mais que eles e com a desculpa que nos estão a salvar? Veremos se nos salvam. As grandes medidas continuam por tomar. Continuo a ver os Boys nos seus postos, os Municípios a meterem o pessoal que querem, os políticos com subsídios impensáveis, etc. Afinal temos ou não que agir? Temos, sempre que nos tentem roubar a nossa dignidade, é o que estão a fazer.
Beijinhos
nacasadorau disse…
Vim cá ler-te expressamente hoje.
Tinha a certeza absoluta que que gostaria do teu texto, como sempre, mas este, assim escrito, em forma de bala, encheu-me as medidas, amiga.

Pois é, tens toda a razão.

Dá raiva mesmo, ver o bando de covardes que ficam agarrados à cadeira, ou ao tacho, até o perderem.
Quando a tacanhez é muita, até dá pena. Mas quando se trata de "gente" que fica à espera que os outros façam por eles, aí também me sai o pé do chinelo.

Não estou empregada, portanto não fiz greve, mas estou sempre do lado da justiça e da razão.
Não fui a Lisboa, vivo a mais de 500 kms, mas irei quando for mesmo necessário, se bem que o é sempre, tenho plena consciência disso.
Hoje era dia de Greve Geral e eu não sai de casa, mesmo!

Gostei, amiga, do teu tom sarcástico e da forte indignação contra todos os mentecaptos que ainda por cima ocupam lugares de chefia, eles e os seus lacaios.

Beijinho
Mz disse…
Sempre houve quem desse a cara para que houvesse mais equidade social. Aqui, em minha casa sempre se ergueram para lutar numa época em que não se podia piar fora da onda do regime. Antes e agora, sempre!

Bj
Infelizmente, a maioria dos tugas fica à espera de colher os frutos, recusando dar a cara. Essa é que é a verdade...
BlueShell disse…
Pois...nós fazemos greve...e depois alguém ainda se ficaa rir!!
Acho que somos é...idealistas...

Te abraço
BShell
Petra disse…
Forte tudo que disseste.. e tão verdadeiro amiga.
Fernanda disse…
Boa semana amiga.
Espero ver-te activa, brevemente.

Beijo
caminhante disse…
E o mais grave é que isto não vai ficar por aqui... Mau mesmo é ver ausência de punição para aqueles que verdadeiramente contribuiram para este descalabro. Bjo...
Subscrevo como sempre este seu
texto. Minha amiga muito antes
da greve escrevi às duas Centrais
Sindicais e apena uma me respondeu
a CGTP. Sugeri que pedissem para
se colocar uma bandeira negra
em casa janela ou varanda. Se
se colocou pela Seleção Nacional
porque não agora. Não teve qualquer
eco.Estou reformada(uma miséria,para
quem descontou 40 anos(porque foi
com antecipação e perdi bastante)
e no dia da greve estive na manifestação, assim como estive na
dos militares(meu marido até foi
roubado directamente na sua bolsa-
documentos,óculos,dinheiro,enfim...) e não tenho filhos, estou muito
avançada na vida e ainda luto,
mas também me impressiona ver
tanta gente adormecida, com filhos
para criar.
Não percebo muito os portugueses
"no geral"...
Beijinhos amiga.
Irene
Fê-blue bird disse…
Amiga, passei por aqui para te dar um beijinho.
Espero que esteja tudo bem contigo.
Sinto a tua falta ! :(
Passei para lhe desejar e aos seus,
o melhor Natal possível, com
saúde.
Um grande beijinho da amiga
Irene Alves
nacasadorau disse…
Amiga Brown Eyes!

Vim saber de ti.
Espero que estejas bem.
Se não nos falarmos antes, Bom Natal.
Beijo
Fernanda disse…
Amiga, deixo-te um longo mas belo poema da minha poetisa de eleição e boa amiga, Maria José, com votos de Feliz Natal.

Beijinhos

Sou uma árvore de Natal diferente

Um dia senti,
Que a terra ardia.
Pensei, ser eu
Que estava febril,
Delirante,
Ou tinha mesmo acordado
Atordoada,
De uma noite mal dormida.
O tempo era de Verão,
O vento que soprava
E a gente que passava.
Grande era o alarido
Que num instante
Virou clamor e fundiu o espanto
Em pranto de dor.
Não estava febril, afinal,
Nem mesmo mal acordada.
Tudo ardia em meu redor
Ao som de gemidos e estalidos
Em tom de sinfonia gritada,
E logo em cinzas eu via
A minha terra,
A minha gente,
O meu adro
E o meu terreiro…
Holocausto em nome de nada.
A dor foi passando
Como a água do ribeiro
Ao encontro da outra margem.
Do meu chão,
Erva verde, frágil e mansa
Foi crescendo,
Relembrando a cada instante
A minha solidão,
A negrura,
Que em tom de amargura
Se havia instalado
Em todo o canto de mim.
Sem ramos, nem folhas,
Sem filhos, nem amigos
Desistia da vida,
Mesmo,
Que o vento me açoitasse
E as lágrimas teimassem
Em saltar porta fora.
O tempo foi passando
Estirada naquele chão,
Espreitava o dia acontecer,
No desejo de me arrastar
Para além do mar.

Um dia,
Um outro dia…
O chão estremeceu.
Do céu, uma fresta de luz
Incandesceu,
E não sei mesmo
O que me aconteceu.
Senti mãos,
Escutei vozes,
E fiz viagem até esta paragem.
E aqui estou eu!
Nesta sala iluminada,
Neste sítio ajeitado no abraço,
Neste canto todo feito de ternura.
Continuo feia e queimada,
Ressequida e enquistada,
Não mo lembrem, …sei bem.
Mesmo sem ramos, nem folhas,
Mesmo tendo perdido o vigor
E a robustez doutros tempos,
Neste espaço tão mimado
E com laços brancos enfeitada,
Sinto-me noiva, amante
Deste tempo de Natal.
Saibam de mim!
Escutem a voz do meu coração,
Olhem bem em meu redor…
E mesmo que a noite seja fria
Não há maior alegria
Do que aquela
Que a minha alma canta.
De braços queimados,
E toda vestida de branco,
Oh gente de Campos,
Oh gente desta terra
Bem-haja!
Obrigada.

Natal de 2011
Poema de Maria José Areal
Brown Eyes disse…
Ná fartamo-nos de ouvir criticas diárias ao governo mas, no momento de demonstrar a insatisfação,não dão a cara. Com esta atitude vão usufruindo do que os outros conseguem. Covardes, é o que penso deles e claro quando abrem a boca para criticar há que lhes lembrar que afinal não têm por que o fazer, não fizeram greve. Agora resta-lhes comer e calar.
Beijinhos e Obrigada
Brown Eyes disse…
MZ há que lutar se queremos mudar alguma coisa. Felizmente existe gente que pensa como nós senão...
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Carlos pois é. Este país tem muitos oportunistas. Beijinhos
Brown Eyes disse…
BlueShell sempre fui idealista, acho que é essa qualidade que me mantém o sorriso nos lábios. Aprendi de pequena que defender alguém só traz problemas porque no fim acabas só mas prefiro acabar só que esconder a verdade mesmo sabendo que alguém acabará por pagar por isso. Há coisas que nunca conseguimos mudar em nós porque seria trairmo-nos.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Petra como andas? Eu fugida como já te apercebeste. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Ná também espero mas às vezes as coisas complicam-se, foi o que aconteceu. Estive doente. Estou já melhor mas não a 100%. Beijinhos
Brown Eyes disse…
caminhante exactamente. Isso é o que mais me revolta. Estar eu a passar mal, diminuirem-me o ordenado mensalmente para pagar os erros de quem esteve no governo. Parece-me que este povo é muito pacífico ou então tem conseguido fugir ao pagamento dos impostos. Não sei que se passa. Ninguém parece importar-se por estar o inocente a pagar e o culpado a gozar a vida. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Irene também não os percebo e penso que nunca os perceberei. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Fê obrigada. Beijinho para ti também
Brown Eyes disse…
Irene obrigada. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Ná obrigada. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Ná lindo poema. Obrigada. Muitos beijinhos e tudo de bom para ti.

Mensagens populares deste blogue

Carnaval de Vermes

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…