Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2009

Nós ou o Palhaço?

Não tinha planeado este post. Apetecia-me falar de tudo menos de ti. Sinto uma grande revolta, não sei se contra ti, se contra quem te elegeu. Não sei. Mas sei que, nunca me enganaste. Esse teu ar de hipócrita, de desleal, de dissimulado, adulterador, astuto genuíno, de esperto maldoso, nunca me passou desapercebido. Para mim sempre foste um guru, um professor na arte do engano, com grande conhecimento de macumba, grande engenho na arte de seduzir. Acredito, vivamente, que assim seja, que tenhas tirado um curso de encantamento, já que não conseguiste o de engenharia, antes isso que, acreditar viver num país de incultos.
Ignorar o que não tem qualidade é meu hábito mas, jamais, nunca, ignoro quem prejudica o obreiro, o modesto, o respeitoso e, muito menos, ignoro o injusto. Assim sendo, resolvi publicar, neste blog, algo que desvende o teu carácter, que ponha a descoberto as tuas capacidades astutas, as tuas faculdades anormais para saíres impune.  
Alguém sem medo, Mário Crespo, in Jor…

Carências à Superfície

O Natal, 25 de Dezembro, data que não corresponde ao nascimento do menino Jesus, provavelmente terá nascido em fins de Setembro, altura da Festa dos Tabernáculos e terá sido concebido em fins de Dezembro. Nesse dia celebrava-se o retorno do sol, o primeiro dia no qual os antigos podiam notar claramente que os dias estavam a tornar-se maiores e, que a luz do sol estava retornando. Como ninguém sabe o dia de nascimento de Jesus e, como a Igreja queria substituir o festival pagão com um dia santo, escolheu esse dia para festejar o nascimento do menino.
Para mim, mulher adulta, com uma posição ateísta, total ausência de crença em divindades, espiritualista, aceitando algumas ideias imateriais como a alma humana ou a reencarnação, o Natal, presentemente, é um aproveitamento das carências afectivas das pessoas, e, não passa disso.
Já foi uma época em que a família se reunia e confraternizava mas, há muitos anos, o seu significado reformou-se. Reformou-se o significado do Natal e o da famí…

O meu Pai Natal

O Brown, que se vestiu, desde que nasceu, no princípio do mês de Agosto, de Pai Natal, tendo-me dado, ao longo destes meses,  toda a felicidade que dele dependia.

Para Fábrica de Letras. Tema do mês: O Natal

Brown Eyes