Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Eduardo Lourenço

Morreu, hoje, o Português que mais admiro, Eduardo Lourenço. Depois de ler "O Labirinto da Saudade", livro que foi tema para um filme que  estreou em 2018,  o  que pensava deste país  e deste povo tinha sido sublinhado, por um Homem sábio, inteligente e um pensamento claro. Nunca mais esqueci o livro e o autor. Já passaram mais de trinta anos. Este Homem conseguiu descrever claramente a mentalidade portuguesa e diferencia-la da europeia. Nasceu em São Pedro do Rio Seco, Almeida, Guarda, (Sr. Primeiro Ministro Eduardo Lourenço não nasceu em Lisboa, como o Sr. mencionou numa entrevista que deu) numa aldeia desconhecida por muitos que, pelo facto de ter sido o berço do filósofo e ensaísta, tornou-se imensa e cruzou fronteiras. Portugal ficou mais pobre e o outro mundo, onde aquela luz brilhante cega quem parte, ganhou uma mente livre e brilhante.
Mensagens recentes

LivreTrabalho

Uma bela paisagem, sol, flores, árvores e duas cadeiras de escritório. A pandemia trouxe-nos a solidão, o confinamento, o medo.... mas há imagens que nos fazem sorrir, Só faltava a secretária, o computador e o trabalhador.  Quem quer trocar o teletrabalho pelo livretrabalho?  

A.R. Calma!

 Pessoal o povo, aquele que tem uma visão nítida da realidade, está cheio de discussões baratas:       A app do covid-19 é ilegal.       Não, não  é.       Máscaras obrigatórias na rua.        Não, só quando não se pode manter o distanciamento. Todos já devíamos saber que: Com Stayway Covid ou sem ela somos vigiados constantemente. Pelo menos que o sejamos por uma boa causa.  Estarmos a ser vigiados para saberem de que produtos nos devem enviar publicidade não vos preocupa? A mim não só me preocupa como me aborrece. O uso da máscara obrigatória, em recintos fechados e na rua. Esta regra devia ter sido implementada logo que surgiu o primeiro caso. A.R. deixem-se de discussões inúteis. Pensem que quem está a pagar a crise é o Zé Povinho.  Baixem os vossos vencimentos, esqueçam-se dos afilhados e parem com novas entradas na função pública de técnicos superiores. Os que lá têm querem explora-los, não lhes resolvendo a situação no entanto, aproveitam os seus conhecimentos. O ordenado mínimo

A União do Pensamento

Quantas vezes perguntamos: Será que sou a única a pensar assim? Esta pergunta surge pela ação errada de alguém. Pode haver subjetividade mas, no respeito, na justiça, na verdade e na igualdade não há. O que está certo e errado não é objetivo. Todos deveríamos saber isso. Deveríamos, também, saber respeitar para podermos ser respeitados. Sempre pensei que quem humilha não tem autoestima, tem inveja e não aceita a diferença. 

Ela Está Lá

 Queiramos ou não a verdade "nunca" se apaga. Basta olharmos para um espelho ou vermos as fotos antigas para a encontrarmos. Para quê dissimula-la ou mentir?  Mais tarde ou mais cedo cai-nos em cima. Deve ser muito difícil viver-se na mentira e muito cansativo, temos que ter uma boa memória e andarmos escondidos. As testemunhas existem. Nunca se consegue dourar o lixo, acaba sempre por cheirar mal. O melhor mesmo é assumirmos que nos consideramos uns "Zés Ninguém" o que nos leva a viver numa mentira constante. Como diz o ditado "mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo". Há que assumir idades, habilitações e empregos.  Se somos velhos (as), somos empregadas de limpeza, já temos o queixo deformado, braços cheios de gordura, barriga proeminente e vivemos uma vida de traições, traindo a mulher e as milhentas namoradas para quê fingir que temos 30 anos e até somos religiosos. My God tanta ignorância e pouca inteligência.

As Leis e os Homens

Quem é humanista não consegue acreditar no rumo desta sociedade. Vale tudo para se "roubar", até matar inocentes que não se podem defender. Nestes inocentes, englobo os animais, os velhinhos, as crianças e os indefesos. As leis, as regras, a moral, a justiça é uma utopia.  Há pessoas que as cumprem mas, ao  contrário do que possa pensar, acabam desfeitos, atropelados, esmagados pelo poder do dinheiro, da imoralidade, da injustiça, pelos oportunistas e calculistas. Porque se tem um seguro, que paga pelas cabeças dos animais mortos, deixam-se morrer queimados? Não há uma lei que pune quem maltrata os animais, neste país? Há ou não? Eu já a li. Estou informada e sei que, finalmente, os animais têm direitos, como um ser vivo que sente e sofre. Eles sentem e sofrem, sabiam?  Que fizeram as autoridades? Onde estavam os poderes políticos? Onde estava o Presidente da Câmara, o Primeiro Ministro ou até o Presidente da República? Que vai acontecer a todas as autoridades presentes, que

Liberdade e Igualdade

Será o 25 de abril um dia tão importante ao ponto de fazer esquecer: . Que o exemplo deve vir de quem nos governa, de quem tem mais poder; . Que estamos, há meses, fechados, em casa, para conseguirmos vencer um vírus; . Que há pessoas a sacrificarem-se para que os outros se curem e não se alastre esta pandemia; . Que existe imensa gente a utilizar uma máscara, luvas, fatos de proteção durante horas o que, como devem imaginar, não é fácil, para o bem comum; . Que, aqueles que tratam, transportam, cuidam dos que não se livraram deste maldito vírus (que ainda não sei onde nasceu, não acredito em tudo o que ouço) que não veem a família, com medo de as contaminarem, que nem dormem em casa; . Que todos nós, por mais que amemos o conforto do nosso lar,  já estamos no limite, ansiosos, perturbados com a perca, não só, da nossa liberdade como de toda a nossa rotina. Todos nós perguntamos? Afinal somos ou não todos iguais e responsáveis? O 25 de abril vai abrir um proc