Avançar para o conteúdo principal

O Torso

‘Ainda mergulhado no torpor matinal, de persianas corridas e pensamentos trancados, ouço ao fundo do corredor o som dos meus pesadelos. Os passos afiados, como uma estocada de um qualquer toureiro espanhol, libertavam no ar toda a fealdade gelada da sua alma e tinham em mim efeitos diversos, bastante distantes da placidez do torpor em que me encontrava…’ (in ‘O torso’, de Ricardo Mendes da Fonseca)
"Assim começa a história de um jovem mutilado que se vê privado da sexualidade, vivendo numa casa caiada de conservadorismo, que encerra uma verdade bem mais subversiva. Encontra finalmente o amor num dia chuvoso de funeral. ‘O torso’ é a 1.ª auto-publicação de Ricardo Mendes da Fonseca, recorrendo aos serviços editoriais disponíveis no SitiodoLivro.pt, uma história originada pela frustração laboral que o autor acumulou ao longo dos anos. Através desta obra, o autor quis e conseguiu exprimir as suas emoções e realidades vividas no seu passado." (in blog do Sítio do Livro).

Pensa, quem me vier visitar durante esta publicação, que fugi ao normal, que houve uma entrada de um novo tema, não. Resolvi falar nesta publicação, que adquiri no Sítio do Livro, para que saibam que numa geração que dizem "rasca" e se sente "à rasca", para conseguir sobreviver pelos próprios meios há, ainda, quem queira ser excepção, não se deixando arrastar para o precipício que os "iluminados" deste rectângulo escavaram.
Neste país, parte-se do pressuposto que a cultura se adquire na escola, que tem que se tirar uma licenciatura, um mestrado (muito em voga) para se ser alguém, para se ter conhecimento, para se ser feliz, amado e idolatrado, para se fazer algo em grande. Esta nunca foi a minha opinião e os maus exemplos apresentam-se, diariamente, aos nossos olhos. Nós, simples mortais, conseguimos encontrar, saber e conhecer o que está a apodrecer no nosso país, conseguiríamos, facilmente, agarra-los e coloca-los no lixo, sem lhe darmos hipóteses para contagiar o que, ainda, há de são. Os economistas e políticos, esses mesmos que aparecem na TV, a enumerarem soluções para a crise, que não passam de facadas para os mais pobres e desprotegidos, não conseguem enxergar as mudanças necessárias para levar este barco a bom porto. As soluções que eles encontram acabam sempre por cair sobre os mesmos, por serem temporárias, por não resolverem nada, por defenderem apenas uma classe social, a dos inúteis.
Este Jovem, o R.I.P., cujos blogues visito desde que conheci o mundo da blogsfera, surpreendeu-me e surpreendeu todos os que tiveram oportunidade de ler o Torso. Conseguiu quebrar regras com esta excelente obra., exprimir-se, dar voz a uma camada jovem que respira cultura. Será ele uma excepção?
Sempre comparei este Jovem a Saramago, tive já oportunidade de lho dizer, alguém que tem uma visão muito própria do mundo que o rodeia, autodidacta, criativo, que gera polémica, vigilante que encontrou na palavra a arma para lutar contra a injustiça, ignorância e poder. Alguém que procura a verdade através da análise, da observação da experiência vivida, modificando o conhecimento manipulado à nascença. Era assim que eu via Saramago mas, também, é assim que vejo Ricardo Fonseca.
Comprem, leiam e analisem. Vale a pena.
Publicado, também, no blog  Sempre Jovens
Brown Eyes
Continuo ausente, responderei aos vossos comentários logo que me seja possível. Não podia, no entanto, deixar  de me unir a um grupo que apoio, a geração à rasca, deixando aqui um excelente exemplo. 
Blogues do autor: Prá lém da linha vermelhaquest for the sublime...lyric

Comentários

nacasadorau disse…
Não conheço mas fica a promessa que o farei e por duas razões fundamentais.
Primeira, ser por ti analisado e sustentado como alguém que te lembra Saramago.
Segundo, porque reconheço muito mais cultura, educação e valor a quem empiricamente aprende e entende a vida em todos os quadrantes.

Irei visitá-lo e espero vê-lo com os teus belos Brown Eyes.

Beijo
Mz disse…
A escola é a uma base fundamental. Quanto mais formação (seja ela intelectual ou técnica) se adquirir, mais ferramentas o jovem terá para poder competir neste mercado escasso e competitivo do mundo do trabalho no nosso país.
Os auto-didatas são casos especiais, sempre existiram e espero que continuem a florescer. Conheço alguns auto-didatas, hoje já com idades avançadas que dizem "daria dias da minha vida para poder ter ido mais longe no meu grau académico".

Sobre as gerações;
Ainda bem que existem casos bem sucedidos. Mal seria de nós e deles... . mal seria desta geração e de toda uma geração que se encontra dilacerada, e como se constata, cada vez mais à "rasca".

Que o grito de amanhã não seja em vão. Que seja escutado pelos que ainda tenham alguma consciência.

Obrigada pela partilha.
Bjs
R.I.P.per disse…
Obrigado pela divulgação :)
Briseis disse…
Imensa vontade de conhecer e ler! =) Valeu o post, delicioso e sóbrio, como sempre, e a sujestão!
pinguim disse…
Mary
fazes falta à blogosfera; este texto é disso prova.
E deste-me um novo blog a conhecer: vou começar a segui-lo.
Pedrasnuas disse…
Muito bem...parabéns aos revolucionários...mas ainda penso que a Escola faz imensa falta...o auto-didata pode ir longe como pode não ir...a formação de base é imprescindível... e só a Escola apesar de todos os obstáculos com que se depara...tornou-se instrumento político...e não devia...mas apesar de tudo...há muita gente que lamenta não ter feito o curso da escola...
Os que são por gosto...desde que se mantenham activos é uma opção...de qualquer forma num mercado de trabalho tão competitivo e qualificado...é um risco...enfim...

É preciso apostar mais nos jovens, naquilo que têm para oferecer, nas suas qualificações !!!

Obrigada por nos trazeres um exemplo de alguém que é diferente

Beijinhos e bom fim de semana
Carmo disse…
Obrigada pela informação, irei ler, sem dúvida.
Um abraço
Boa semana
pink poison disse…
Fazem falta novos talentos... A vida, é a melhor escola... Porque da teoria à prática...
Beijos
Fê-blue bird disse…
Minha amiga:
Ontem fui à manifestação da geração à rasca e presenciei nos milhares de jovens presentes, muita determinação e conhecimento.
Falta-lhe talvez capacidade de luta e empreendedorismo, culpa nossa por lhes facilitarmos a vida(esta é a minha visão como mãe de dois jovens adultos).
Saber que há jovens exemplares e talentosos como o Ricardo, reacende-me a esperança nos jovens e futuro.
Obrigada por esta partilha, vou adquirir o livro sem dúvida e irei também visitar os blogues que recomendas.
Beijinhos e volta depressa.
Patty disse…
Um livro a ler!
Gostei do que li e concordo com a Brown disse no seu post.
jocas
Manuela Freitas disse…
Olá querida Mary,

Evidentemente que não é preciso ter um canudo, para se ter substrato e o exemplo que dás é de facto para mim de um grande mérito, porque no mesmo se vê uma luta para alterar preconceitos. Mas na realidade nem sei são preconceitos, já que presentemente, tirar um curso, fazer um mestrado…ie continuar a estudar, a estudar…dadas as dificuldades de saída profissional, acaba por ser uma bengala psicológica, para quem vê o nada à sua frente e que agrada tb aos pais, já que isso representa ocupação e nada se perde com isso.
Minha querida Mary quanto à geração à rasca…eu diria que muitas gerações estão à rasca, com cursos ou sem cursos, desde os que precisam após estudos obrigatórios de ir trabalhar às pessoas idosas que vivem com reformas miseráveis. E há soluções para sair do buraco? Ou se encontra um caminho comum, ou vamos todos juntos para o abismo da pobreza. Onde já mergulharam dois milhões de portugueses.
Com certeza que irei adquirir esse livro que recomendas, que me suscitou de facto um grande interesse e mais uma vez louvo a oportunidade do teu post.
Beijinhos,
Manuela
Brown Eyes disse…
Ná como sabes Saramago tirou apenas um curso técnico e o seu primeiro emprego foi de serralheiro mecânico, no entanto, ganhou vários prémios, entre eles o Prémio Nobel de Literatura. Um autodidacta que conseguiu vencer. O que não se consegue querendo? Acredito no poder da nossa vontade. O Ricardo demonstra que tem vontade e valor.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Concordo que quanto mais ferramentas o jovem adquirir ao longo da sua vida mais hipóteses terá para competir no mundo do trabalho. Além do mais porque vivemos numa sociedade onde a competição faz parte do dia a dia e onde ela nunca foi tão desigual. Hoje os jovens começam a fazer testes psicológicos muito cedo, para saberem qual a profissão para que têm jeito, parece incrível não é? Isto hoje é banal. Fazem-se testes psicológicos que custam pequenas fortunas e as psicólogas que existem nas escolas deixaram de ser suficientes.Os testes são feitos fora e por conselho das psicólogas escolares. Quem estaremos nós a criar, seres perfeitos ou pelo contrário mais imperfeitos que nunca? Não teremos nós que sentir o que queremos seguir? Será uma psicóloga a dizer-nos o que é melhor para nós ou até o mercado de trabalho? Há uma super-protecção para com os jovens que penso que em nada os ajudará. Todos temos que errar para aprender, não será? Vale mais a aprendizagem com um erro ou um conselho? MZ nem todos temos vontade nem feitio para estudar. Há quem adore fazê-lo, quem não o possa fazer e quem não encontre na escola nada que o cative. A escola não tem em conta as diferenças, todos estudam pela mesma cartilha e a mesma cartilha pode não interessar a todos. Nasce então um desinteresse que vai crescendo e que pode levar a chumbos sucessivos. Que faz a escola nestes casos? Estuda-os e dá-lhes a resposta adequada? Não, ignora-os a maior parte das vezes, marginaliza-os o que, claro, aumenta o problema. Esses autodidactas de que falas pensam assim porque não foram mais longe, se tivessem ido pensariam o mesmo? Que a escola é fundamental para alargarem os seus horizontes? Se calhar não. Tanta coisa que se dá na escola que não nos interessa e que se quisermos passar temos que saber. Eu adorava matemática, no entanto detestava física mas, tive que a fazer, tive que a estudar. Considerei esse tempo perdido. Podia tê-lo aproveitado para algo que gostava, que eu considerava mais útil. Um autodidacta dedica-se ao que gosta e aprofunda muito mais os seus conhecimentos na sua área de interesse e claro obterá melhores resultados. Pena que a escola não esteja preparada para dar resposta a estas pessoas. Depois é um erro querer que todos sejam licenciados, nem a todos interessa isso e nem o país está preparado para responder a todos.
O tal grito de que falavas foi altíssimo mas duvido que quem têm o poder o tenha ouvido. Há aqui muitos interesses em causa e nós estamos na cauda da Europa, somos os escravos dela e o nosso futuro é a anulação completa. Entrar na CEE foi o que ocasionou. A globalização permitiu a anulação de alguns países e povos, anulação completa. A máxima agora é trabalhar nem que seja por uns cêntimos ou então vamos para o desemprego. Tudo que se ganhou em décadas perdeu-se em dias. Perderemos todos os direitos até o direito à saúde, já está a acontecer. Vê o caso dos reformados que já nem para comerem têm quanto mais para comprarem medicamentos ou irem ao médico.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
R.I.P. Já imaginaste quando fores famoso o valor que terá este blog? :)
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Briseis obrigada. O R.I.P merece. Beijinhos
Brown Eyes disse…
pinguim e a falta que vocês me fazem? A minha vida tornou-se demasiado activa e o tempo escasseia cada vez mais. Não é fácil abdicar de uns minutos de relaxe mas, por enquanto, terá que ser assim. Quando somos mais novos aguentamos trabalhar noite dentro mas, a partir de uma certa idade o descanso é mais necessário que a comida.
Beijinhos e obrigada.
Brown Eyes disse…
Pedras é um risco, claro que sim mas, a vida é um risco, só por si.
Beijinhos e obrigada
Brown Eyes disse…
pink claro que é. Aprendemos tanta teoria na escola que de nada serve na pratica. Quem não souber adaptar a teoria à vida não irá longe. A escola pode ensinar-nos muito mas não nos ensina a lidar com a realidade, nua e crua. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Fê concordo contigo quando dizes que facilitar a vida não ajuda a enfrentar o dia a dia, a resolver problemas a ter força, pelo contrário. Há que levar pontapés, viver para se aprender e para podermos estar preparados. Este mundo é duro e o mundo do trabalho então.... Os jovens se não tiverem futuro não será por culpa deles mas sim por culpa de quem lho hipotecou. Eles são tão capazes como nós fomos, o problema está na sociedade que deixamos que se enraizasse: sociedade que marginaliza, que escraviza, que aniquila. A esperança é a última a morrer e mesmo analisando os acontecimentos, que em nada os beneficiam, continuo a acreditar na mudança.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Patty obrigada. Beijinho Grande.
Brown Eyes disse…
Manuela de todos os que estão à rasca os que me preocupam mais são os idosos. Os jovens podem e devem imigrar, têm força, uma vida pela frente mas, os idosos, coitados, levaram uma vida a trabalhar para nada. Estou a falar dos idosos com reformas diminutas, não nos idosos com reformas milionárias e que foram políticos e de outros idênticos. Soluções? Só vejo uma: ditadura. A classe média está já no buraco. Os trabalhadores estão de rastos, não da para aguentar mais cortes e mais impostos, já estamos a pedir esmola. Trabalhamos para pagar impostos. Se olhares para as facturas, água, luz, gaz e afins verás o que gastas e quanto pagas. O imposto e despesas que te atribuem ultrapassam o dobro do que gastas. A factura da água então....Já para não falarmos no IVA nos produtos necessários. Agora baixam o IVA no Golfo? Quem joga golfo? Manuela a revolta cresce e temo que a guerra civil seja inevitável por mais educados e pacíficos que sejamos. Não quiseram baixar os ordenado milionários dos Directores, porquê? Não estaremos em crise? Compreendem-se vencimentos de 14 mil euros enquanto alguns passam fome? Para pagar quantos ordenados dariam estes 14 mil euros? Mas há ordenados ainda superiores. Compreende-se que os juízes tenham direito a casa, telemóvel, ajudas de custo milionárias, etc? Porquê? Não ganham já eles o suficiente? 5oo euros para pagar uma deslocação de uma fulana a uma reunião? Foi ela a pé a pisar pregos? Não foi de automóvel do Estado. Enfim... Qualquer país rebentava com tantos chulos e parasitas. Mas quem tem coragem para acabar com eles? Ninguém porque todos estão à espera de um dia também comerem.
Obrigada. Tudo o que fizermos pelos jovens estaremos a fazer pelo futuro deste país. Há muitos boys neste país, pouco restará para os jovens, por mais mérito que eles tenham. Beijinhos
R.I.P.per disse…
Brown prefiro morrer no lixo e estar satisfeito c a minha obra. A fama n m diz nd. Não quero ser famoso.
Brown Eyes disse…
Carmo obrigada. A responder às vezes salto alguém. Desculpa. Beijinhos
Brown Eyes disse…
R.I.P. Não esperava outra coisa de ti. Correr atrás da fama pela fama nunca trouxe nada de bom. O que se pretende é que o nosso trabalho seja reconhecido, que tu consigas que reconheçam o teu valor e que consigas revolucionar mentalidades. A tua importância estará aí. Este blog, como deves imaginar apenas pretende fazer reflectir não pretende, também, ser famoso. Se pretende-se trataria de coisas banais como roupa e afins. Não quer, nem nunca quis, estar em tops mas ficaria muito feliz se visse o teu livro no top de vendas. :)
Satisfeito sei que nunca estarás, nem com esta nem com nenhuma obra. Quando criamos alguma coisa queremos fazê-lo o melhor possível e se tocássemos 100 vezes nela 100 vezes a alterávamos. Procuramos a perfeição e conseguimos sempre superarmo-nos e como sabemos disso estamos sempre insatisfeitos. Sorte que o leitor é menos exigente que nós. A máxima "Só sei que nada sei" de Sócrates (nem todos os Sócrates a conhecem:)) só é dita por um sábio, só ele sabe que nunca sabe tudo, que por mais que saiba muito mais há para saber. Impossível abarca todo o conhecimento e por isso todas as nossas obras poderão ser sempre alteradas, poderão ser sempre aperfeiçoadas estando sempre imperfeitas.
Este teu comentário só vem reforçar o teu valor. Hoje as pessoas correm em busca da fama como se ela fosse tudo. Ainda bem que tu sabes o quanto ela vale e sabes que um sonho realizado vale só por si, não pelo que possa trazer.
Beijinhos
R.I.P.per disse…
É isso , em traços gerais.
Minha amiga, obrigada por ter colocado este post. Poderia dizer
muita coisa, mas não o vou fazer,
apenas dizer que subscrevo total-
mente este seu post. Vou verificar
o blogue que refere e comprar o livro. Há pessoas que são empreendedoras por elas próprias
e que lutam para atingir alguns dos
seus objetivos, contra ventos e marés, parece ser o caso.
Este nosso Portugal "endoidou"
em muitas situações e os portugueses também...(sei que não
vão gostar...)mas muita coisa se
vai desmoronar...e muita vaidade
"ouca"...vou parar(senão ainda me
"batem"...)
Beijinhos amiga.
Petra Pink disse…
Brown: Agora fiquei ansiosa por ler o livro! beijinho
Brown Eyes disse…
Irene as pessoas modificaram-se muito e valorizam apenas o ter e não o ser. Isto vai mudar? Acredito que sim, temo que não seja antes de haver muito sofrimento. Acho que apesar de estarem habituadas a olhar para o ter com o que se está a passar no mundo, não só em Portugal, devem começar a repensar a sua vida.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Petra obrigada pela visita. Compra e dá a tua opinião. Beijinho Grande para ti Garota.
Di disse…
Ele não será concerteza a excepção. Há por aí muitos talentos, mas que não são valorizados. E não são empurrados para agir sobre esse talento, sobre essa diferença...
É um dos motivos porque eu quero a todo o custo sair deste país. Não digo que as coisas sejam melhores lá fora, mas quero conhecer o desconhecido, arriscar. Acho que é isso que falta a muita gente.

Beijo enorme*
Brown Eyes disse…
Di fazes muito bem em sair do país. Dificilmente a mentalidade aqui mudará, dificilmente alguém aqui consegue vencer apenas pelo seu valor. Porquê? Porque não lhe dão oportunidade. Arrisquei muitas vezes e não me arrependi. Hoje até arriscar é impossível neste país. Isto está tão minado, tão podre que não tens nem oportunidade para arriscar, principalmente se tiveres valor. Aqui o valor é anulado porque significa perigo para os limitados.Beijinho
sinfonia disse…
Passei para deixar um beijinho.
Irene
Pedrasnuas disse…
Vim deixar-te um grande beijinho e desejar-te bom fim de semana

Obrigada pelos comentários

Mensagens populares deste blogue

Carnaval de Vermes

Afinal é por Isto ou por Aquilo?

O aquecimento global deve-se a quê? Ando completamente baralhada mas...Quero continuar assim.
“O  aumento da temperatura do planeta é ocasionado pela acumulação na atmosfera de gases como o Dióxido de Carbono,   Metano,   óxido de azoto e os CFCs, provenientes do uso de combustíveis fósseis e processos industriais. Este aumento da temperatura é conhecido como Efeito Estufa, sendo que o Dióxido de carbono é o principal gás da atmosfera que tem a capacidade de absorver a radiação infravermelha do sol. Com o advento da industrialização ocorreu uma elevação nos níveis de Dióxido de Carbono na atmosfera, que está se intensificando a cada dia que passa, provocando um aumento na temperatura terrestre com consequentes alterações climáticas globais….” in EFEITO ESTUFA - UNESP ou
“A astrofísica Jillian Scudder, da Universidade de Sussex, prevê que a Terra tem ‘apenas’ mais cinco mil milhões de anos de vida, antes de ser engolida pelo sol. A vida do próprio sol chegará ao fim, mas entretanto est…