Avançar para o conteúdo principal

Dissertando

Chegaram, finalmente, as férias. É tempo de esquecer o relógio e as obrigações, já não era sem tempo. É tempo de me rodear de quem gosto, de gozar todos os prazeres que a natureza me oferece, de viajar, finalmente. É tempo de fazer, por aqui, um interregno, não se pode ter tudo na vida. Sei que serei tentada muitas vezes a dividir convosco os meus pensamentos, a minha opinião, as minhas ideias, a conhecer as vossas mas, a certeza que tenho sobre a supremacia de quem me rodeia, assim como, o quanto é escasso todo o tempo que possamos dedicar a quem amamos, manter-me-á afastada. Três semanas, à primeira vista parecem muito tempo mas, neste caso, é pouco. Não medimos o tempo, sempre, da mesma maneira, ele tem vinte e quatro horas mas, às vezes, parece ter quarenta e oito  e outras, então, escassos minutos. Estes dias terão escassos minutos, passarão num ápice. Não porque estou de férias mas sim porque estarei bem, feliz,  em principio. Não podemos dar nada como certo, nesta vida, apenas a morte. O tempo mede-se pela felicidade que sentimos, corre velozmente, ou pelo sacrifício que somos obrigados a fazer, pára.
São os sentimentos que o medem, não o relógio.
Foi ele, o tempo,  que me tirou muitas dúvidas, quando as decisões eram importantes e não deviam ser tomadas a sangue frio porque, estavam coisas muito importantes em causa, foi o tempo que me ajudou a decidir. A minha fé está centrada nele. Foi ele que me deu aquela força para virar tudo de pernas para o ar, foi ele que me mostrou que se vêem caras e não se vêem corações, foi ele que me demostrou que o que hoje parece terrível amanhã pode ser uma bênção e foi ele que me vingou, nunca mexi um dedo contra ninguém, esperei que o tempo desse  à pessoa o que merecia, deu. Quem com ferros mata com ferros morre. Foi, o tempo, que me ensinou a antever o futuro, isto de ver o que os outros não vêem tem que se lhe diga mas, o tempo, certificou, quase sempre, as minhas previsões e deu-me razão .  Foi, o tempo, que me ensinou a ser reservada, na minha vida particular, zangam-se as comadres descobrem-se as verdades. Aprendi, ainda, a viver o presente, estudando o passado e preparando o futuro. "Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti" é uma máxima para todos os que respeitam, porque querem  ser respeitados, mas, para os outros não tem qualquer significado. Foi, ele, também, que me ensinou a não chorar sobre leite derramado perca, total, de tempo. Foi, ainda, o tempo que me ensinou que a história se repete e que, às vezes, não demora muito tempo. Ele mostrou-me que há pessoas que exigem tolerância mas, são pouco tolerantes, que há pessoas que exigem dos outros aquilo que eles não podem dar mas, não sabem ou não querem saber. Há pessoas que dizem gostar de viver justamente mas fogem à justiça, diariamente, há, ainda, pessoas que nunca têm tempo, para nada nem para ninguém,  outras, então, têm tempo para tudo e para todos. Ensinou-me, ainda, que a mentira só dura enquanto não chega a verdade mas, por vezes, a verdade nunca chega,  depende da conta bancária.  Foi, o tempo, que me ensinou que, para colher tempestades não é preciso semear ventos, basta ser objecto de inveja. Não menos verdade é que a ambição cerra o coração. Cerra mesmo, não é por acaso que enriquecem. Foi, ele, que me certificou que antes só que mal acompanhado, sem dúvida. Aprendi, com ele,  a desconfiar do homem que não fala e do cão que não ladra. Vale mais, muito mais, cair em graça do que ser engraçado porque se pode ser  preso por ter cão ou preso por não ter, depende. Ensinou-me que não há male que sempre dure nem bem que nunca acabe e que o sol quando nasce não é, não é mesmo,  para todos, é só para alguns, tal como a justiça. Há, ainda, quem tenha telhados de vidro e atire pedras, esqueceu-se do material que utilizou para construir o tecto da sua palhota e, há,  quem não tenha cão e cace com o voto, modernices, esses sabem que quando a onda bate na rocha quem se lixa é o mexilhão, o mesmo que dizer o povo, por isso seguram-se.  Foi, o tempo, que me ensinou que em terra de cegos quem tem olho é rei e quem não tem dinheiro tem vícios, desvia-o. Quem não trabuca, manduca, pede subsídio.  Recordar não é viver, é sobreviver. Todo o homem tem o seu preço mas, atenção, há excepções, há quem não tenho preço, quem seja peça única. Tristezas não pagam dívidas? Alegrias também não, o melhor é não as fazer, não vá o diabo tece-las. Uma desgraça nunca vem só, verdade verdadinha. Vozes de burro não chegam ao céu, pelo menos não ao meu mas chegam ao de muitos.
Resumindo, com tempo tudo se consegue, até sair de um labirinto,   se não deixarmos morrer a esperança e a paciência. Ainda tenho alguma.
Foi o tempo que me ensinou a viver e a sorrir, sorrir  mesmo quando já se tem só os dedos, quando  os anéis já se foram, há muito.
Voltarei, com tempo, cheia de saudades, esperando que ele  faça justiça, que altere o que está errado e nos dê tudo o que merecemos, seja lá o que for.  Nos homens já vimos que não podemos confiar, têm uma capacidade de análise diminuta, uma noção da realidade baseada no interesse e na conveniência.
O tempo é uma incógnita, sem dúvida, cabe-nos a nós conseguir viajar com ele, confiadamente.
Até já
Como curiosidade,visitem este site e saberão quanto tempo já viveram, em que dia nasceram   e quanto tempo falta para fazerem anos. Aqui é medido o tempo até aos milisegundos.
Brown Eyes
publicado em Fábrica de Letras
tema: Uma longa viagem

Comentários

Poetic GIRL disse…
Minha querida umas excelentes férias para ti. Também eu vou de mala na mão, encontar-me a mim mesmo, pensar na vida, descansar a mente... são viagens que fazemos dentro de nós, são deliciosas... Encontramo-nos em setembro então, beijo grande

P.S. Se vieres a braga já sabes, call me, prometo que desta atendo!
Brown Eyes disse…
Bela se for prometo que te ligo. O telemóvel está na carteira, já para isso. É que o 91 não utilizo, já utilizei mas, mesmo assim levo-o para a eventualidade de passar por aí para te poder ligar. Boas férias para ti também. Diverte-te. Não te esqueças que só vivemos uma vez. Beijinho grande.
Manuela Freitas disse…
Texto cheio de realismo, relembrei aqui muita coisa que se diz, mas escrito à tua maneira, onde é flagrante muita experiência de vida.
Umas boas férias, o tempo realmente passa depressa, mas depende de uma série de factores! Às vezes não passa, arrasta-se, outras vezes voa!
Beijinhos, fico à tua espera.
Manuela
Rui Caldeira disse…
Muito cuidadinho . . segundo uma teoria de . . bom, uma teoria minha, as pessoas nas férias têm 3 cenários possiveis : Apaixonarem-se por um homem casado, mais velho e com uma doença nos testiculos; Engordarem mais ou menos 25kg em cada perna ou engravidarem.


Posto isto, Boas férias !!
Anne disse…
tem umas boas férias e descansa, aproveita, conhece, explora... faz tudo o que quiseres fazer..
recupera-te e depois volta... ;)

um beijo!
Eduardina disse…
Bela dissertação!
Não posso deixar de estar de acordo
com estas reflexões. Então que o tenpo de férias seja plenamente vivido,com momentos felizes, e retempero de forças!
pinguim disse…
Há muito que eu ando a "pregar" quanto à relatividade do tempo e é bom saber que alguém pensa exactamente como eu.
Por exemplo, agora que estou a menos de um mês de um novo encontro, como são lentas as horas e como é pesado o relógio que carrego; depois e durante pouco menos de 20 dias vão passar a correr, quase roubando alguma da felicidade do reencontro.
E não vejo o tempo de isto se modificar e começar a ver o tempo como uma pessoa normal.
Boas férias, minha Amiga e que o tempo vá correndo o mais devagarinho possível...
meldevespas disse…
Na verdade tudo é relativo....
Mas não vamos perder mais tempo com esse tipode preocupações, não agora. Agora preocupa-te em "beber" bem esses dias de férias, em "sorver" toda essa vida que nos vem do bem estar e do estar com quem gostamos.
Beijo, enjoy
aluisio martins disse…
"a arte de viver dá pé..."
"fé cega e faca amolada..."
sigamos nesse vão
virão poesias e boas palavras
parabéns
abs
johnny disse…
"Nos homens já vimos que não podemos confiar, têm uma capacidade de análise diminuta, uma noção da realidade baseada no interesse e na conveniência."

Só uma dúvida: que homens são estes? os homens, de humanidade, ou os homens do sexo masculino?
Di disse…
Muita gente me fez muita merda, e eu, como tu, acredito no karma. Mas algumas dessas pessoas ainda hoje não tiveram o que merecem. Nem pelo que me fizeram, nem pela maneira como são. E sinceramente, às vezes, quando relembro esses tempos (porque tenho que o fazer, porque volto a cair nesse buraco e é a única forma de sair) a última coisa que me apetece é ter paciência em relação a essa gente.
Mas continuo a ter.
E espero um dia estar a escrever um post como o teu e poder dizer "não levantei um dedo, não sujei as mãos, quem me lixou, lixou-se a seguir".

Vamos ver :)

Beijo enorme e boas férias!!!
disse…
Bom descanso e felizes dias junto dos entes queridos.
Adorei a harmonia dos provérbios e as alfinetadas bem metidas a quem, de ser humano, apenas tem o feitio.
Até breve. O tempo passa depressa.
Abraço.
Caldeira
MZ disse…
O tempo consegue mostrar-nos muita coisa, Brown Eyes... embora não pareça, eu já fui impulsiva e ansiosa em determinados momentos da minha vida, mas, o tempo ensinou-me a ser mais paciente e serena.
Espero que as férias sejam uma fonte de energia, de carinho e de boa disposição.

Até já :)
beijinhos
anouc disse…
Olá Mary.
É bom saber que já voltaste de férias... ;)

beijo*
Brown Eyes disse…
Bela espero que tenhas gozado tanto nas férias, que te tenhas sentido tão bem como eu. Foram excelentes mas, muito muito curtas. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Bela mais uma coisita, não passei por aí. Logo saberás por onde andei. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Manuela nunca temos muita experiência de vida já que caímos sempre em alguns erros. Sou muito sentimental, apesar de lutar diariamente contra isso, o que me leva a repetir alguns erros mas, estou sempre pronta para os emendar, nunca choro sobre leite derramado. Tempo só perco com o que vale a pena. Beijinho grande para ti
Brown Eyes disse…
Rui essa teoria é válida? Não li antes e, engordei 3 quilos, não é grave pois não? Espero que não esteja grávida.:)
Beijinho
Brown Eyes disse…
Anne não imaginas o que explorei, vim de lá com uma quantidade de artefactos enorme mas, bastou-me o primeiro dia de trabalho para perder tudo. Haja paciência!!! :) Beijinhos
Brown Eyes disse…
Eduardina ACABARAM mas eu sou daquelas que não me deixo vencer e ja estou à espera e a magicar nas de 2011. O sonho comanda a vida, sem dúvida.
Brown Eyes disse…
pinguim quantas coisas temos em comum. Espero que nos últimos dias não te deixes vencer pela nostalgia do fim, eu deixo e começo logo a sofrer com antecedência. Vai ter que haver solução para isto. Hão-de inventar um relógio com o tempo à nossa medida. Penso que estás a gozar o novo encontro, desejo-te tudo de bom. Afinal a distância por aí é maior, bem maior que a minha e o tempo para matar saudades também. Eu mato-as de 5 em 5 dias e às vezes menos. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Mel bebi e sorvi tudo o que pude mas, já bebia e sorvia mais. Beijinhos
Brown Eyes disse…
aluísio obrigada pela visita. Arte de viver é o que todos procuramos para mantermos fé numa vida que, nem sempre, foi feita à nossa medida mas, eu não me canso de cortar o que está a mais.
Brown Eyes disse…
johnny homens humanidade. Hoje não há diferenças e quando as há não são a favor das mulheres. Não sou feminista, nada que se pareça. Sou a favor da igualdade, sempre, no entanto acho que elas são cada vez menos iguais, principalmente as que fazem questão de serem mulher objecto em prol do poder que o dinheiro dá e dizem ter. Enfim, havia muito que falar e até muitos significados para abordar. Quem sabe amanhã toque no tema: Mulher e possamos descobrir qual a sua noção da realidade, interesse e conveniência dela e compará-lo com o do homem. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Di sabes que nem sempre sabemos que essa gente se lixa? É verdade. Essa gente vai tendo o que semeou mas, não consegue sequer decifrar o que se passa com elas, por isso não se emendam e não pedem desculpa e se não nos pomos finas afundam-nos. Sabes o que os lixa mais? Notarem que nós não damos nenhuma importância à luta que travam para nos destruir. Ignorância total é a melhor vingança, a primeira, a que nós damos, depois vêem as outras, aquelas que o tempo dá e que eles vão semeando. Com o tempo conseguirás, foi assim que eu consegui, depois de levar muitos pontapés. O calo cria-se para nos proteger, para podermos caminhar de pés descalços. A tua inteligência dará frutos e quando deres por ti estás, pacientemente, a aguardar que a justiça seja feita, naturalmente, pelo tempo e verás cair, um a um quem te fez mal. Eu já vi e de camarote. Beijinhos Linda
Brown Eyes disse…
Zé voou, voou mesmo. Regressei à rotina, que é o que acaba por ser a nossa vida, por mais que a tentemos quebrar. Os horários, o tempo marcado, destrói qualquer mudança, tudo com ele fica limitado. Será que o Homem um dia vai descobrir que esta foi a sua pior invenção? Seriamos felizes se pudéssemos viver no nosso tempo, sem tempo para nada e com tempo para tudo. Obrigada mais uma vez pela tua presença neste blog.
Brown Eyes disse…
MZ a idade e a vivência dão-nos uma perspectiva diferente da vida, hoje só há uma coisa que me preocupa: Ter tempo para viver feliz. Beijinho grande
Brown Eyes disse…
anouc voltei e tive algumas surpresas, apesar de só ainda ter feito uma visitinha. Péssima surpresa mas, depois, como digo no blog, o tempo tudo resolve. A seguir a uma morte vem sempre um nascimento. Sabes que não consigo seguir-te? Já tentei várias vezes. Nem sempre o que parece fácil o é e muito menos a facilidade significa qualidade, por isso continuarei a tentar e não será essa dificuldade que me fará desistir de te seguir. Parabéns, excelente blog.
Pedrasnuas disse…
OLÁ MARY...VIM MAS NÃO TE LI AINDA...PASSAREI CÁ COM CERTEZA. QUERIA DEIXAR-TE UM ABRAÇO E UM BEIJINHO E TUDO DE BOM PARA TI.

ATÉ À PRÓXIMA
Pedrasnuas disse…
MARY BROWN....GRANDE MARY BROWN...GRANDE TEXTO...MUITO BEM URDIDO...COM TODO O SENTIDO E CHEIO DE VERDADES. SÓ PODIA TER SIDO ESCRITO PELA MARY BROWN!!!

PARABÉNS !!! VAIS DE FÉRIAS E VAIS DE ALMA LAVADA E BEM "VINGADA". COM TUDO DITO E DESAFOGADO...

MARY SUBSCREVO TODAS AS TUAS PALAVRAS. NÃO RETIRO UMA VÍRGULA NEM UM PONTO...

TINHA DE VIR CÁ...É UM PONTO OBRIGATÓRIO...HÁ PARAGENS QUE NOS CHAMAM...E TENHO ENCONTRADO VÁRIAS. A TUA É SEM DÚVIDA UM LUGAR A VISITAR E A LER...

UM GRANDE BEIJINHO E CONTINUA NO TEU DESCANSO PORQUE FAZ FALTA

SAUDADES
Eli disse…
O que diz o teu sorriso?

:)
Brown Eyes disse…
Pedras já vim de férias mas, não sei que se passa, ainda não arranjei um bocadinho para aparecer. Penso em breve dar noticias. Beijinhos e obrigada por todo o teu carinho.
Brown Eyes disse…
Eli o meu sorriso diz muita coisa, acredita. Nem sempre reflecte felicidade. Ao longo dos anos aprendemos muito e responder sorrindo foi uma delas, evito muitas chatices com uma sorriso sarcástico, não calo, não consinto mas, também, não perco tempo com respostas.
Beijinhos
Olga disse…
Aprende-se com a vida e com os nossos erros e até a observar os erros dos outros, porque normalmente não queremos cair nos mesmos. Gostei da tua publicação e também infelizmente já aprendi algumas das tuas lições à minha custa, crescer doi. Beijinhos.
Brown Eyes

Eu nunca te esqueço. Tu e Manuela
foram pessoas que me escreveram no Sapo, onde estive ,a sério, um ano.

Vim com coragem para o google, através de Manuela e te tive como seguidora de imediato, e no mesmo instante, Manu.

Estou aqui no google há cerca de três meses (a sério).

Quanto ao teu texto, muito bem
apresentado toca um tema de todos os dias.

Te vou dar uma análise pessoal:

No tempo anterior, no meu e talvez no teu, os pais eram demasiado severos.
Nada perdoavam, eram senhores absolutos dos filhos e os filhos tinham medo ou respeito pelos pais.
muitas vezes medo recalcado, escondido.
Estava errado! Era um Extremo!

O mundo muda, as geraçõrs mudam, se transformam e numa espécie de vingança ancestral, os filhos deste tempo, tomaram o outro Extremo.
Os Extremos é que predominam em
qualquer lugar, neste nosso caso, a
família.
Não há moderação e a parte mais suave, o meio-termo, não existe!

Os filhos passaram a mandar nos pais, a desprezar os pais e os pais têm medo dos filhos.

Os Extremos mudaram! Os pais severos que até parecia que não tinham amor aos filhos, não existem mais... e neste instante os
filhos inconscientes, a quem tudo se dá, odeiam os pais e até os matam.
Estão a criar-se monstros? Talvez...

Mas ainda temos forças para encaminhar os filhos e os trazer, ao meio-termo.

Mas está tudo tão mau que não sei quanto tempo vai passar, até à
reconciliação de pais e filhos.

Essa morte não é a primeira e não vai ser a última, infelizmente.

Não esquecer que a a confusão que se criou com a Liberdade, tudo
transformou e liberdade passou a ser usada e abusada e já não significa Nada!

Todas as palavras usadas
sem verdade ou convicção,
não correspondem ao verdadeiro
sifnificado,
ao verdadeiro sentido.

Se perderam e são usadas sem dignidade, valor, ou moral.

É tudo muito bonito (parece) mas as
consequências estão a aparecer e
não sei até que ponto.

É um tema que tem muito a debater.

"A queda nos Extremos é terrífica."

E é o que está a acontecer!...

Assim eu penso
Assim eu digo!

E acredito no que digo
e também acredito e louvo, o que tu
dizes!
Tens toda a razão! É um tema a ser debatido por todos e não apenas
"por alguns".
Isto que nos contas é real!
Não pode se visto com indiferença!

Beijos e obrigada por escreveres.

Mª. Luísa
Brown Eyes disse…
Maria Luisa colei o teu comentário no post "Amolecidos pelo Sangue" porque veio parar aqui por lapso. No entanto o que respondi foi: Concordo com tudo o que dizes que vem ao encontro do que penso. Passou-se do 8 ao 80 , ao extremo como dizes mas eu penso que a educação anterior era a mais certa. Porquê? Já vimos que as pessoas abusam mesmo quando vivem com regras, quanto mais em liberdade total. Não há dúvida que o ser humano não consegue viver sem regras abusa.
Obrigada pelo poema, lindo com uma mensagem de suma importância. Beijinho Grande para ti.
caminhante disse…
lindo texto. adorei cada palavra que li com todo o tempo que merecia...

viver sorrir o tempo

bjinho Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ
caminhante disse…
só mais uma coisita: fui ao site que recomendaste. os milisegundos assustaram-me... sinto que estou a perder "tempo"...
Brown Eyes disse…
Caminhante todos estamos a perder tempo por isso não devemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje. Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

Carnaval de Vermes

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…