Avançar para o conteúdo principal

Quem com Ferros Mata....

Um cidadão português cansado de, ano após ano, assistir à destruição do nosso património pelas mãos de criminosos elaborou a  "PETIÇÃO 25 ANOS DE PRISÃO PARA QUEM (ATEAR/MANDAR) FOGO FLORESTAL". Assinei mas, sinceramente, acho 25 anos muito pouco tempo. Eu pediria "PRISÃO PERPÉTUA" para todos aqueles que provocam um incêndio propositadamente, por distúrbios mentais, para obtenção de lucros, vingança, sabotagem ou outro motivo.
Se quem é capaz de um acto destes não pensa nas suas consequências, nas vidas humanas que pode ceifar, na destruição do meio ambiente, nos custos económicos, no sofrimento e distúrbios psicológicos que causa a todas as suas vítimas, porque havemos nós de lhe dar a possibilidade de ele se inserir na sociedade após a reabilitação (dizem que a prisão serve para reabilitar o individuo no sentido de se poder inserir novamente na sociedade)?
A solução para este inferno anual está não só no aumento das penas mas, também, na utilização de presos para a limpeza das matas. Somos um país pobre, com gente com escasso poder de compra, com idosos a ganhar misérias (que herdaram ou compraram prédios que não tem a possibilidade já de cultivar) e, por tudo isto, há que rentabilizar a mão-de-obra que temos nas prisões, procurando que eles pesem o menos possível a uma sociedade de trabalhadores asfixiados por impostos.
Acho que estas medidas diminuiriam muito este e outros crimes. Pensariam duas vezes antes de cometerem um crime. Em vez de terem uma cela apetrechada de tecnologia, como dizem ser as celas hoje, teriam uma enxada para ganharem o alimento do dia.
Quem não trabuca, não manduca.

Dos fracos não reza a história e em momentos difíceis os vencedores são aqueles que são capazes de tomar a decisão certa.
Mary Brown 

Comentários

✿ chica disse…
Uma bela e justa petição e esses que cometem tais atos devem ser punidos...Pior é que a coisa se repete sempre! Tristeza,não? beijos, lindo domingo,chica
Mary Brown disse…
Chica todos os anos temos o mesmo martírio. Acho que quem vive no campo no verão deixa de dormir e viver sossegado.
Carmem Grinheiro disse…
Sim, concordo que deve ser julgado o criminoso que contribui para este descalabro a que temos assistido. Mas uma pena de prisão é uma medida em consequência do crime e não acredito que sirva como inibidor, da mesma forma que não o é em outro género de crimes. Porque o ser humano faz e não pensa nas consequências...
São necessárias medidas preventivas, com guarda e protecção das florestas (até se criavam postos de trabalho) que, claro que não cobririam toda a extensão de verde que o país tem, mas seria uma parte de um todo e haveria mais cuidado até mesmo para serem limpos e criados caminhos de acesso por entre a mata, para, em situações de combate ao fogo, o pessoal sapador ter por onde seguir (coisas que não existem); mais controle nos indivíduos conhecidos pelo seu historial; mais civismo por parte de quem, inadvertidamente, é igualmente causador de fogos; combate aos interesses económicos obscuros... E, claro que outra atitude das autoridades e mais meios para combater o fogo no seu início, o que evitaria que se alastrasse de forma incontrolada, catástrofe que se repete.
Eu sou uma leiga, mas, quem está directamente ligado ao assunto, passando inclusive pelos próprios bombeiros, que sabem das suas necessidades quando dos combates, todos juntos, e genuinamente interessados, o problema não se extinguia, mas, certamente melhorava bastante.

bj amg
Mary Brown disse…
Carmen concordo com tudo o que dizes mas continuo a achar que uma punição mais severa acabaria com os fogos, tanto para os que os provocam inadvertidamente como para os que o provocam intencionalmente. Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…

Carnaval de Vermes