Avançar para o conteúdo principal

Uma Gota de Vida...


Uma Gota de vida é  uma lição e devia servir para nos aperfeiçoarmos, para irmos aprendendo a viver como humanos, deixando o lado animal de parte mas, nem todas as vidas são aproveitadas.
Com o passar dos anos descobri que não compensa enfadar-me e esfalfar-me lutando contra gente doente. Todos sabemos que neste país não existe justiça e as pessoas habituaram-se a aquecerem as costas e, com elas aquecidas, pensam que fazem o que lhes apetece. Lutar abertamente contra essa gente é o mesmo que deitar tempo, paz e saúde ao lixo. Não vale a pena. Descobri, ainda, que se me mantivesse calminha, impávida e serena acabaria por beneficiar mais e o  prejuízo era nulo.
Como? Não me enervo, a saúde não é abalada, não perco tempo e a pessoa, perante a nossa calma, o nosso desprezo e a nossa firmeza, acaba por meter o pé na argola. Tanto mete o pé que um dia fica lá presa.
Perceberam a filosofia?
Trabalhar com pessoas de baixa auto-estima,  o que leva automaticamente ao baixo nível,  não é fácil mas, eu,  faço-o há cinco anos. Tem sido uma escola para mim. A minha calma cresce a cada segundo que passa e o desespero delas aumenta a cada centésimo de segundo.  O descontrolo começa a ser visível, até de olhos fechados, e não tardará que passem à violência física.
Nós somos o que as nossas atitudes transmitem de nós e o que a nossa educação entoa.  A superioridade está aqui, na atitude e na educação e se alheada a excelentes habilitações e a categorias superiores podem ser um grande rastilho mas, esse rastilho, só arde se não soubermos gerir os atacantes.
Não sinto insegurança, nem esta crise conseguiu incutir-ma, não preciso de retorcer ninguém,  muito menos matar.  Tenho a noção do meu valor e não há sombra que o consiga devorar.
Nasci para aprender a viver, ou sobreviver na selva, é o que tenho feito. Aprendi a ser polida, não deixando de satisfazer a minha vontade, e a conseguir o que pretendo serenamente.  
Os intranquilos e incertos são auto destruíveis.
A vingança serve-se fria e o empregado que a transportará não serei eu, nem será pago por mim.  
As crises trazem com elas muita informação. O  lado animal salta quando pressionado pela desconfiança, pelo medo de  se ser incapaz,  de se ser inválido, nulo, inútil, inabilitado (novas oportunidades são habilitações oferecidas, não ganhas, principalmente para quem nunca mudou de serviço, viveu peso ao pouco que aprendeu  por temer ser incapaz de enfrentar uma mudança), de não ser o escolhido. Um animal poderá acabar preso numa armadilha ou devorado.
O tempo é implacável. 
Brown Eyes

Comentários

Ana Martins disse…
Brown Eyes, boa noite!
Sei bem e entendo do que falas, mantém-te assim, fiel a ti mesma!

Beijinho,
Ana Martins
✿ chica disse…
Pouco a pouco a vida vai nos ensinando como nos comportar ,até pra preservar nossa saúde física e mental, diante de tantas coisas que não dependem de nós! beijos,lindo dia!chica
Petra disse…
Oh mulher por isso nos demos logo bem à primeira! Tomei a mesma atitude que tu. Mas eu tenho sorte de não precisar de tais trastes para trabalhar....
Levava com gente mal amada, com uma auto-estima de merda, frustrada a força toda, e com um alto tesão... mas apenas para deitar a baixo.
O que fiz, desprezo, gozo calado, encolher de ombros, sorrir para dentro, ter calma e brindar tais vermes com o veneno do meu sucesso. beijo
otempoquehadevir disse…
Meus Lindos Olhos...

Antes de mais obrigado pelo tempo que dispensaste e com o qual me deste o prazer da visita e do comentário...

Hoje aconteceu-me coisa semelhante... Um ataque voraz dos "espíritos formatados", na vã esperança que Eu reagisse de igual forma, para depois então darem-me com ela!!!
Claro que, felizmente, de nabo tenho já muito pouco... E o que aconteceu foi que piquei uma única vez o cromo e com isso fiquei a saber coisas que de outra forma nunca saberia... A fúria é assim... Basta lançar um isco e eles caiem todos!

De resto, é como tão bem descreves, e até posso escrever "Se não podes vencê-los, não te juntes a eles, eles acabarão por perder"

E o futuro vai ser mesmo um "E que futuro"

Bjhs ;-)
Brown Eyes disse…
Ana tem que ser senão...Os anitos dão-nos uma ajuda enorme sem eles estaria a explodir a cada segundo. O que eles me têm ensinado. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Chica exactamente a nossa saúde física e mental. Como dizes são coisas que não dependem de nós por isso temos que aprender a lidar com elas. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Petra eu não preciso deles mas convivo com eles. Quer queira quer não tenho que me cruzar com eles diariamente apesar de ter o meu trabalho independente. A melhor atitude é ignorância total, ficam possessos pois eles queriam ser protagonistas e nós não deixamos. Beijinhos Linda e bom fim de semana
Brown Eyes disse…
otempoquehadevir ainda está uma boa definição espíritos formatados. :) Fazias falta por aqui porque mesmo quando falas de assuntos sérios acabas por me fazer sorrir.
Que futuro!
Beijinhos
Bom fim de semana
Fê-blue bird disse…
Amiga, a vida não foi fácil para ti, aprendeste com os teus erros, cresceste interiormente à custa de muito sofrimento e seguiste em frente com a cabeça erguida.
Conseguiste hoje essa plenitude, mas sabemos que não podes baixar a guarda, gente daquela ao mínimo descuido ataca à traição.
Continua assim com os olhos atentos, mas serenos.
Por isso, gosto tanto de ti ! :)

beijinhos
Brown Eyes disse…
Fê quis dar a entender como eu enfrento o meu problema, como eu dou a volta por cima, de tal maneira que saio e esqueço-me completamente daquilo e daquela gente. Tudo isto fui adquirindo para me preservar. Há muita gente com problemas neste país e só cada um de nós conseguimos saber como dar a volta. Dar a volta é conseguir uma vida calma e em paz. Esta calma e esta paz acabam sempre por dar frutos. O desespero cava a nossa sepultura,
Se eu desesperasse agiria nervosamente e estava sujeita a um processo disciplinar. Beijinhos
otempoquehadevir disse…
Minha Querida... Fico saciado de felicidade só de saber que te fiz sorrir... E isto basta-me!!!
Bjhs
voz a 0 db
Brown Eyes disse…
Ri-me e não gastei euritos. Fácil não é? Não é difícil rir contigo
Beijinhos e bom fim de semana
João Roque disse…
Nem todos têm a serenidade e o auto-domínio que tu possuis.
Eu também sou um pouco assim e penso que a idade nos vai ensinando muito.
As pessoas são menos sôfregas de viver, o que não significa que não dêem valor à vida...
Brown Eyes disse…
João damos tanto valor à vida que aprendemos a vive-la melhor.
Beijinhos
Olga disse…
Todos estamos aqui com o prepósito de aprender, mas a maior parte das pessoas gasta o seu tempo a odiar e a perseguir os outros e com receio que os outros lhe roubem algo que não é delas. Nós os espertos só precisamos de manter a calma e serenidade e viver a nossa vida, minuto a minuto e ser feliz por cada pequena coisa. Doce beijo,
Brown Eyes disse…
Olga é pena que passem uma vida a preocuparem-se com os outros, em destruir os outros, em vez de criarem um eu positivo e construtivo. O verem-nos felizes perturba-os ainda mais, não é? Beijnhos
Eli disse…
Muito bem dito e expressado. Nota-se profundamente a tua confiança! :)
Brown Eyes disse…
Eli se não fosse ela....Beijinhos
Giancarlo disse…
un saluto caloroso...ciao
Brown Eyes disse…
Giancardo Obrigada. Bom fim de semana
O Natal está chegando, e para você que pretende presentear uma pessoa querida e especial, uma boa opção é o livro: “NO ESPÍRITO DO NATAL”, do autor e dramaturgo machadense Robson Leal Pereira, com prefácio escrito por Cônego Walter M. Pulcinelli.
O livro encontra-se à venda na Livraria Ágape (antiga Livraria Católica), na esquina da Rua Dom Hugo com a Joaquim Floriano, pelo valor de R$ 10,00.
Contato:
Robson Leal Pereira
Caixa Postal, 010
37750-000
Machado-MG
(35) 9119-6723
machadocultural@gmail.com
Brown Eyes disse…
Fanzine obrigada pela ideia.

Mensagens populares deste blogue

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…

Carnaval de Vermes