Avançar para o conteúdo principal

One Moment In Time...

Cada dia que vivia  queria que fosse um dia para dar o seu melhor, era única mas  estava só. O melhor dia dela ainda não o conhecia. Quebrou o coração por cada vitória, para provar o doce enfrentou o sofrimento, levantou-se e caiu mas continuou a querer um instante no tempo. Queria um instante no tempo quando estivesse a correr com o destino,  para sentir a eternidade. Viveu para ser a melhor, queria tudo, não havia tempo para menos, traçou  planos, tinha a chance nas mãos, todos os seus sonhos estavam à distância de uma batida do coração. Tinha as respostas, só queria um instante no tempo quando estivesse a correr com o destino, então, nesse instante, do tempo, sentiria a eternidade. Seria uma vencedora durante uma vida se aproveita-se  aquele instante no tempo, fá-lo-ia brilhar. 
Não lhe foi concedido esse instante no tempo mas, ela  é livre e eterna. 


Há sempre um momento no tempo, um momento para agarrar o destino para fazê-lo eterno, para fazê-lo brilhar.  Um momento de felicidade que podemos imortalizar. Ele chegará, num instante do tempo. 

Nós vivemos esse momento, valorizámo-lo, agarrámo-lo, eternizámo-lo e conseguimos fazer dele um brilho diário nas nossas vidas.  Cada gesto, cada palavra, cada olhar, lembram-nos esse momento, recordam-nos as nossas qualidades e ajudam-nos a superar os defeitos.  Enquanto quisermos que ele seja eterno, em cada dia que vivermos, daremos o nosso melhor. Somos únicos mas não estamos sós. Levantamo-nos e caímos, como qualquer ser humano mas,  continuamos a querer eternizar esse momento que nos uniu, continuamos a sonhar com a liberdade que ele nos deu, com a sua perpetuidade. 
Vivemos para o sentir e sentimo-lo  para viver.
(Homenagem a Whitney Houston,  ao amor e à vida)
Brown Eyes

Comentários

Briseis disse…
Que linda homenagem! ...no meio de tanta controvérsia e críticas à sua personalidade e à forma como vivia, é bom haver apenas uma memória, uma homenagem, uma exaltação das coisas boas!
Brown Eyes disse…
Briseis só pode apontar o dedo quem nunca errou, quem nunca sentiu a felicidade fugir por entre os dedos, quem nunca se sentiu perdida. A vida dos outros parece-nos sempre fácil e bela, pior é quando na nossa aparecem problemas. Ter fama, ser bela, ter uma linda voz não significa ser-se feliz. Falta, muitas vezes o essencial: o amor de quem amamos. Beijinhos
Rogério Pereira disse…
É bela, sentida e , de certo modo, até merecida a homenagem. Mas deixa que te diga, abusado deste espaço, o que eu acho. Para todos nós, seres humanos, o juízo das coisas, das pessoas, dos afectos, dos momentos e dos valores são, normalmente partilhados entre o racional e o afectivo. Por vezes conflituam. Por vezes são cúmplices. Mas são diferentes. Racional e emocional são diferentes. Quando o não são, perde-se o controlo da realidade... Não é bom nem mau, porque é uma coisa e outra. Não é de maldizer nem de louvar. Apenas nos faz sentir pena por as coisas serem assim e terem este fim (há quem se esconda e sobreviva)

Isto que te digo é tese do meu recente livro, onde Minha Alma e Meu Contrário, em contexto de guerra, superam situações onde muitos (anónimos) claudicaram.
(desculpa te ter ocupado o espaço com comentário tão extenso. Obrigado)
Brown Eyes disse…
Rogério este espaço é teu e agradeço, sempre, a tua opinião seja ela longa ou não. O afectivo consegue muitas vezes apagar o racional e quando? Principalmente quando temos a auto-estima em baixo e quando assim é deixamos de nos amar e começamos a auto-destruirmo-nos ou a permitir que nos destruam. É complicado principalmente porque é nesses momentos que os amigos deixam de o ser. É nessa altura que precisamos que nos compreendam e nos ajudem a raciocinar novamente. não é o xanax que o fará mas é a ele que se recorre muitas vezes e que nos receitam. Os químicos não ajudam a raciocinar e muitas vezes adormecem-nos o que em nada nos ajuda mas são eles que os médicos receitam. Com eles, ansiosos, deprimidos, auto-estima nula acabamos por sucumbir. Perdeu-se uma vida e ninguém ajudou. Beijinhos
pinguim disse…
A mais bela homenagem que li na blogo, sobre o desaparecimento de Whitney Houston, é este teu texto.
Parabéns e obrigado pela partilha.
Brown Eyes disse…
pinguim obrigada. Tudo que é sentido. que é real é belo. Beijinho
Rogério Pereira disse…
Vamos deixar de lado WH pois sendo um caso que nos choca, aos dois, pode nos levar a pensar que estamos a fazer seu julgamento. Quando dizes: "O afectivo consegue muitas vezes apagar o racional e quando? Principalmente quando temos a auto-estima em baixo e quando assim é deixamos de nos amar e começamos a auto-destruirmo-nos ou a permitir que nos destruam." Tens razão. Mas o que consideras causa (auto-estima em baixo) para mim, isso é consequência de o lado racional estar, ou pouco desenvolvido ou condicionado por preconceitos - sociais, de educação - e, assim, os comportamentos são fundamentalmente determinados pelos afectos. É dramático um mundo onde o juízo sobre as coisas, sobre as pessoas, sobre os afectos, sobre os momentos e sobre os valores é permanentemente manipulado, dada a impossibilidade efectiva de pura e simplesmente se poder remover o "juízo"...

Não te quero dar seca, mas...
Brown Eyes disse…
Rogério o afectivo apaga o racional quando tens por alguém um sentimento muito forte, quando temos a auto-estima baixa e achamos que vamos ser punidos pela sociedade se deixarmos que o racional aja. Exactamente, se alguém tem uma auto-estima baixa é o resultado de uma sociedade que a condicionou por regras ou condicionalismos que a levou a considerar-se alguém inútil. Para ser aceite essa pessoa tende a tomar atitudes que julga aceites para, assim, conseguir ser amada. Assim vai vivendo reprimindo o seu querer e muitas vezes procura na droga, no álcool o alivio que lhe permite continuar a viver. Saber libertar-se não é facil mas consegue-se. Não é facil porque normalmente quem condiciona e leva a estas atitudes são familiares próximos. A pessoa acaba por crescer condicionada, a pensar que é alguém incapaz. Todos somos diferentes mas a sociedade não está de acordo com a individualidade e não a aceita. Não é por acaso que nasceu a produção em série, acha que o que é bom para uns tem que ser para todos. Enfim, tanto há que falar. Espero não me ter entretanto perdido e ter-te respondido.
Beijinhos
Também foi esta a canção que escolhi para homenagear a Whitney Houston.
Tenho pena que ela não tenha sabido aproveitar a voz que a Natureza lhe concedeu.
✿ chica disse…
Belíssima homenagem e foi realmente uma pena e perda! beijos,tudo de bom,chica
João disse…
É esse "momento no tempo" que dá a força necessária para nunca desistir, não baixar os braços, querer reerguer-se após cair, continuar a abraçar a vida, porque aquele "momento no tempo" fez tudo, valer a pena.
Brown Eyes disse…
Carlos achei que esta canção dela resume um pouco da sua vida. Ela não soube aproveitar a voz que tinha e será que nós aproveitamos todos os dons que temos? Acho que não. Tenho pena quando alguém se deixa levar pelo mundo da droga. Esse mundo destrói a pessoa e pouco a pouco acaba por matar. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Chica qualquer vida humana é uma pena perder-se. Pena tenho, também que nós não as consigamos salvar. Tanta coisa que nos passa ao lado.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
João exactamente mas, muitas vezes não deixamos que ele chegue ou não nos dão a oportunidade de o agarrarmos. Há muita gente deprimida, desolada que não consegue ver o quanto pode fazer por ela. Conseguimos tudo, basta querermos mas, muitas vezes, não conseguimos descobrir as nossas possibilidades e deixamo-nos destruir. Beijinhos
*** Cris *** disse…
Bela homenagem!
A vida está aí para aproveitarmos o melhor que ela pode nos oferecer, mas nem sempre aproveitamos, ou não sabemos aproveitar.
Bjs!
Uma excelente homenagem a uma voz
fantástica e a uma mulher que
viveu como pôde e parece ter amado
de mais quem não teria merecido.
Parabéns pelo seu excelente texto.
Beijinhos para si e desejo que
esteja bem.
Irene
Fê-blue bird disse…
Amiga desculpa a minha ausência, apesar de já ter lido esta tua maravilhosa homenagem , só agora arranjei um tempo para comentar.

"há sempre um momento no tempo para agarrar o destino para fazê-lo eterno,"
Como estas tuas palavras são verdadeiras, uns tem um breve tempo, quase passageiro, outros têm toda uma eternidade.
Whitney H. teve uma vida intensa, cheia de glórias e cheia de tragédias, mas VIVEU!
De que vale viver até aos 90 anos, se não se vive, não se brilha, não se inspira ninguém.
Claro que podia ter aproveitado de maneira diferente, mas quem somos nós para a criticar.
Gostava de ouvir aquela voz que ia ao fundo da nossa alma.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Cris como não sabemos nunca tudo acabamos por perder muita coisa que poderíamos aproveitar da vida. A vida é muito complicada e infelizmente há muita coisa que influencia a nossa vida, até as pessoas que nos rodeiam. Até aprendermos a livrar-nos de tudo que é nocivo leva tempo e quando aprendemos às vezes é tarde. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Irene estou bem apesar da nossa conjuntura politico-económica estou a conseguir manter o equilíbrio mental. A mim ainda não me tiraram o sono. :) Enquanto dormir bem...Beijinhos
Brown Eyes disse…
Fê só a palavra VIVEU diz tudo. Muita gente não compreende que isso é o mais importante: VIVER e FELIZ. Conseguindo isso consegue-se tudo. Depois criticar quem? Ela? Nós sabemos que muita coisa influencia e leva a este tipo de atitude e muitas vezes é quem mais amamos que nos levam a isso. Nunca podemos criticar porque não sabemos NADA dela, não vivemos a vida dela. Beijinhos
Fernanda disse…
Muita bela, sentida e merecida a homenagem prestada a Whitney Houston.
One moment in time is what we are all looking for.

Ele teve-o, teve-o mesmo.
Quem a ouve e a viu em palco, na vida, embora que curta, sabe que ela conseguiu ser feliz e mudar alguma coisa neste Mundo.

Beijo
Brown Eyes disse…
Conseguiu a admiração de muitos. Ser feliz? Não sei se conseguiu Ná. Tenho dúvidas e quando há mortes destas é isso que me preocupa. Era óptimo que todos conseguíssemos morrer felizes mas, nem todos conseguem.
Beijinhos
Ana Martins disse…
Brown Eyes, boa noite!
Bonita Homenagem a Whitney Houston. Para os seus fãs, o seu tempo será eterno.

Beijinho,
Ana Martins
Brown Eyes disse…
Ana obrigada pela visita e pelo comentário. Bom fim de semana
Petra disse…
Vou adorar sempre esta mulher e venerar o seu talento extremo. Foi por causa desta e de outras músicas dela que descobri o talento para a música.
Que grande e linda homenagem.... E merecida também! beijão.
Brown Eyes disse…
Petra quero ouvir esse talento. Beijinhos
Vivian disse…
Olá,Brown!!!

Que bela homenagem!!!Uma artista incrível, uma voz fabulosa!

Beijos!
Brown Eyes disse…
Vivian beijinho e obrigada
Eyes

Tal como tu ou como eu,
tal como "Whitney Houston" todos procuramos esse lugar no tempo
e o tempo a passar repentino e brusco
e o momento procurado não passa...

Quantas vezes passou por nós e na inquietação com que o esperamos, não o vemos passar...não sabemos esperar...

Bela homenagem a essa voz maravilhosa
que tanto me encantou,
A essa vida complexa
que a acompanhou
e por fim a deixou
na
amargura,
nas subidas e descidas,
da Procura.

Paz à sua Alma!

Um beijo,

Maria luísa
Brown Eyes disse…
Maria Luisa obrigada pela tua visita e pelos excelentes comentários que deixas aqui. São momentos destes que nos ajudam a levantar e nos dão um momento no tempo. Beijinhos
Pedrasnuas disse…
Sabes, eu já tinha vindo aqui...mas não me senti minimamente inspirada...ouvi a notícia no sábado ... na hora em que a TV anunciou pela primeira vez...e fiquei chocada...nem queria acreditar...apesar de já saber que a vida da cantora e atriz andava menos famosa devido ao que já conhecemos...de qualquer forma ela teve tempo para se eternizar e ser inesquecível....pena que havia muito para dar...e ficamos sem saber...sem ouvir...mas o caminho da fama é complicado...e exige muito das estrelas...quanto mais dão ...mais o público quer...e nem todas as estrelas conseguem suportar esta pressão...e o que se passa a nível de bastidores...há preços muito bicudos...se até para nós comuns mortais a vida não é fácil...não se pense que para essa gente se manter no topo é canja...não é mesmo!!!!Beijinhos e bom fim de semana!
Aqui estive consigo um pouco.Bj.Irene Alves.Desejo que esteja bam.
Brown Eyes disse…
Pedras obrigada. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Irene um beijinho para ti. Obrigada.
Manuela Freitas disse…
O texto que escreveste sobre esta protentosa cantora, está excelente, com uma incidência de humanismo e sensibilidade muito de acordo com a tua forma de ver o mundo!
Todos lamentamos mortes precoces, são muito mais duras de ultrapassar! Ouvi a notícia e fiquei sem fala, assim como guindada a uma dimensão de reflexão sobre a vida e a morte, ficando a bater no SE..., mas isso não importa nada, ninguém traça um caminho para ter dor e os ses sempre acabam por aparecer, mais tarde ou mais cedo, de uma forma ou de outra!
Beijinhossssss e obrigada pela tua visita!
Brown Eyes disse…
Manuela os ses fazem parte da nossa vida e muitas vezes não temos tempo para rectificar as nossas atitudes e a vida vai entretanto voando.
Obrigada por teres regressado e nos deixares comentar os teus excelentes textos.
Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

Carnaval de Vermes

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…