Avançar para o conteúdo principal

Silenciosamente poderosa

Aproveitando o tema, o silêncio, vou gritar contra a esperteza silenciosa que conquista os inocentes, os humildes e os crentes.
Não sou mulher de silenciar manipulações, condicionamentos, influencias, adulterações, falsificações, em proveito de um, ou vários, manipuladores.
Manipular, através das palavras e do conhecimento, um indivíduo ou um grupo, não é crime, nem é grave desde que haja limites. Limites  impostos pelos valores, costumes e normas de conduta da sociedade.
Se a manipulação é feita num grupo cujo líder recorreu ao recrutamento ilegal, à mentira, à extorsão, aos negócios ilícitos, à pedofilia, à violação sexual, ao crime, à violência, esta passa a ser crime e perigosa. Exemplo disto são as seitas religiosas ou outras.
Fui alertada para o problema, das seitas, quando surgiu, na televisão, em Portugal, a Igreja Universal do Reino de Deus que seduzia as pessoas enumerando problemas sérios, facilmente sanáveis, segundo eles, com a ajuda de Deus, com fé, a troco do dízimo.
Como é possível alguém submeter-se, facilmente, perder valores, conhecimento, a noção da realidade, o pensamento, o raciocínio e a razão?  
As situações de dificuldades pessoais, familiares, profissionais e financeiras deixam os indivíduos vulneráveis, frágeis, levando-os a juntarem-se a um grupo, teoria religiosa, terapia individual ou em grupo, que lhe cria a noção de “Homens e Mulheres Supremos”, com vista à normalização da sua vida esquecendo-se, por completo que, normalmente, há um preço a pagar pelo bem-estar absoluto. O preço é a escravidão, o domínio e a impossibilidade de se livrarem das amarras.
Como consegue “um homem” desligar tanta gente do mundo real?
A primeira coisa que o líder faz é levar as pessoas a efectuarem um corte. Um corte físico, psicológico e afectivo com o mundo exterior. Fá-lo introduzindo ideias falsas, alterando a percepção dos adeptos, relativamente ao interior e exterior do grupo.
O líder ou comunicador tem um nível de conhecimento muito elevado que vai desenvolvendo, ao ponto de anular a vontade e o querer do grupo, ao ponto deste lhe obedecer inconscientemente. Conseguem distorcer os sistemas de conhecimento, a seu favor, obtendo tudo o que querem, inclusive a vida, como aconteceu com a seita “O Templo do Povo”.
Ao fecharem o grupo, evitando, assim, a entrada de informação exterior, que descaracterizaria o grupo, correm, no entanto, o risco de que este, por sua vez, entre num processo de entropia, de desordem, que levará à perca de identidade, gerada pela desorganização e caos.
Mas, os líderes, optam, sempre, pelo encerramento do grupo. Este perde a noção da realidade do mundo exterior mas, o guru, irá sentir-se omnipotente, detentor de um desgoverno comportamental, para com a comunidade que o segue e o sistema normativo da sociedade.
Por sua vez o grupo, isolado socialmente, deixa-se escravizar física e mentalmente, demonstrando desequilíbrio pessoal e grupal.
O comunicador prende os ouvintes com a ajuda dos seus ajudantes, que facilmente distingue no meio do grupo, pessoas facilmente manipuláveis, em quem se apoia para influenciar os outros, com passos de magia, falsos poderes e milagres fabricados.
Destrói a personalidade, a vontade própria, as relações sociais, modifica hábitos e comportamentos, primeiro por sedução e, por fim, por coação.
É criada, aos seguidores, a noção que todos estão errados. Tudo está mal, menos eles, os detentores da verdade suprema.
Para o ingresso obriga-os a entregarem, à seita, tudo o que possuem, empecilho para o bem-estar espiritual. Após isso e o corte de relações com os familiares  estes ficam vulneráveis, submissos à vontade do líder, prontos para serem manipulados.
O líder tem em vista o seu proveito financeiro, o domínio dos outros, o poder.
Para conseguir os seus objectivos, necessita de recrutar indivíduos em situação de fragilidade pessoal ou social, pessoas com bens, que acreditam na dádiva do céu e da terra como paraíso, brindando-os com um clima de amor, compreensão, aceitação incondicional, que eleva a auto-estima, criando um sistema de felicidade, bem-estar e segurança aparente.
Estas pessoas ao entrarem na comunidade reaprendem a viver, de acordo com as leis impostas pelo incontestado líder, que tem explicação sábia para tudo, para os seus actos de extorsão, violação e violência do sistema.
A pouco e pouco a vida na comunidade passa a ser um pesadelo e, aí, o líder ajuda à correcção, resultado das suas fraquezas espirituais, segundo ele. Se os seguidores se mostram renitentes na correcção do seu comportamento, os coadjutores do líder aplicarão as sábias punições físicas e simbólicas, com vista ao seu silêncio. Quando estas punições e os milagres do líder deixam de convencer há sempre uma forma de acabar com eles: antecipa-se-lhes a entrada no além.
O fim das seitas é, muitas vezes, a morte em grupo quando o líder perde o controlo, sobre o ele ou sobre a sociedade envolvente. O silêncio eterno.
Não deixem entrar este silêncio. A vida está mesmo aí ao lado, com os seus problemas, dissabores, as suas alegrias e querenças e com a salvação do vosso poder.
Elaborado para a Fábrica. Tema: Silêncio 
Foto do Google
Brown Eyes

Comentários

...uma nota... disse…
Olá, desculpa o meu atrevimento, de entrar assim no teu cantinho...

Na minha opinião, as seitas existem pela exclusão social, solidão, mágoas, problemas...tal como enumeraste. Por estranho que pareça, é nestas situaçoes que aparece milagrosamente alguém que tenta mostrar o caminho da salvação.
Fiquei escandalizada com uma situação no Texas, em que eram centenas de pessoas e centenas de crianças(mormon)... E no documentário, esses mesmos adultos diziam que eram felizes la dentro... Sou sincera, eu não consigo entender estas situações.

Ultrapassa-me, porque é a união do racional com o irracional. Toda a filosofia de vida a que são colocadas, é simplesmene doentia.

Adorei o post, e achei o teu blog magnifico.

Kiss
convite para seguir a história de Alice , lá no --- continuando assim --- ainda vai no princípio :) espero que gostes

bj
teresa
Brown Eyes disse…
uma nota é exactamente como dizes. Há sempre alguém disposto a aproveitar-se da fragilidade humana e do pouco poder que algumas pessoas têm de se valorizarem. São, normalmente, pessoas pouco amadas que caem na desgraça de acreditarem nestes manipuladores que lhes prometem mundos e fundos e que só pretendem o poder, não estando minimamente preocupados com a felicidade de ninguém. Obrigada pela tua visita e pelo teu apoio. Este blog está à tua inteira disponibilidade.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
continuando assim gostaria imenso de acompanhar a tua história mas de momento não me é possível. Não tenho muito tempo livre, mas fica o convite e a vontade de satisfazer o teu pedido. Beijinhos
Olhos Dourados disse…
Eu nunca acreditei nesse tipo de seitas.
El Matador disse…
Vampiros e Abutres, é o que essa gente é; primeiro sugam toda a energia vital e depois comem os restos até não sobrar nada.
Muito bom este texto ó Brown Eyes, muito bom.
Brown Eyes disse…
Olhos Dourados ainda bem. Essas ceitas são oportunistas. Há muita gente, infelizmente, que complica a vida deixando-se levar por falsas promessas.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
El Matador exactamente, abutres. As pessoas não devem ser manipuladas, devem ser devidamente informadas para poderem optar.
Beijinho e obrigada
Mulher a 1000/h disse…
As pessoas precisam de acreditar. Acho que é esse o segredo por detrás do poder dos grupos e seitas e organizações. As pessoas precisam de acreditar em algo, ou alguém, mais capaz, mais sabedor, mais poderoso e precisam de saber que não estão sozinhas. Porque o silêncio também pode ser cúmplice e intensificar ainda mais a cumplicidade! O problema é que o silêncio implica sempre falta de comunicação... e se há coisa em que eu acredito é na comunicação! De facto, acho que é essencial e imperativa! Daí este meu "não silêncio"! ;) Beijos
Brown Eyes disse…
Sílvia ainda bem que quebraste o silêncio, já andava com saudades tuas. São sem dúvida as necessidades das pessoas que as levam a acreditar em tudo o que aparece e lhes possa vir a dar o que não têm. Os manipuladores, inteligentemente, captam a sua atenção e depois é um desenrolar de acontecimentos desfavoráveis. Beijinhos
Poetic GIRL disse…
Mais uma excelente reflexão tua. Muitas vezes as pessoas procuram as respostas para os seus problemas refugiando-se nessas crenças. O que me parece é que os problemas não deixam de existir simplesmente porque somos adeptos de uma religião ou de uma seita. Quem pensa que encontra ali a solução está errado. A solução, tem que partir sempre de nós, dos nossos ideais e não de quem nos coloca ideiais na cabeça. beijocas e mais uma vez mexes-te com os nossos pensamentos. beijocas
Brown Eyes disse…
Bela eu acredito muito no nosso poder. Nós e só nós podemos mudar tudo.
Beijinhos
Lala disse…
Magnífica esta tua chamada de atenção (mais uma vez)!! Eu sou uma pessoa muito mais espiritualista. Acredito mais em energias e forças da natureza. Seitas e coisas do género sempre me fizeram um bocado de confusão. A verdade é que, como tu bem frisas aqui, existem pessoas que se tornam mais vulneráveis, frágeis quando se deparam com um problema, ou até mesmo com vários ao mesmo tempo. É mais fácil a esses abutres (como diz o El Matador) saquear a alma dos seres que em desespero se agarram a qualquer réstia de fé, ou de esperança, ou mesmo de ajuda. As pessoas perdem o controlo sem se aperceberem e, quando acordam, muitas vezes é tarde demais!
É bom que não nos calemos e que estejamos atentos. Silêncios como este que exemplificas são aterradores!

Grande post! Excelente participação!!

Beijinhos**
Brown Eyes disse…
Lala dentro do silêncio há muitos aterradores, este é um deles. O problema está que quando as pessoas começam a desmorecer deixam de ter quem as ajude e as ouça o que leva, imediatamente, a uma queda vertiginosa. Quando se está bem há sempre amigos, quando as pessoas precisam eles desaparecem. Elas agarrarem-se, então, a quem aparece com falsas promessas. Beijinho
pinguim disse…
Brilhante a tua exposição sobre um assunto que toda a gente já ouviu falar, mas do qual pouco se sabe realmente.
A mim nunca me apanhariam numa situação de adesão a uma seita deste género, mas sei que há imensa gente ingénua e outra tanta com vida problemática que se entregam de corpo e alma na mão de indivíduos escolhidos a dedo pelo seu poder de manipulação, o que é uma tristeza.
Claro que a liberdade é um bem único e difícil de conquistar, mas há certas pessoas e/ou organizações que abusam dela...
Brown Eyes disse…
pinguim nunca te apanhariam nem eles estão interessados em pessoas que não se deixem manipular, como deves calcular.
obrigada pelo teu comentário
Helga disse…
Mais uma vez, uma excelente abordagem de um tema sobre o qual ainda existem tabus e pouco se fala. Pessoalmente abomino todo o tipo de fanatismo, quer seja pela religião, quer seja por outra coisa qualquer, mas geralmente é neste tipo de crença e idolatração, que se cometem as maiores atrocidades em nome de algo que não existe. Sou muito céptica! Acredito que necessitamos de nos apoiar em algo, algo acima de nós e que nos mantenha a esperança, mas quando me vêm tentar vender um talhão de terra no paraíso a troco de uns trocados, chega-me logo a mostarda ao nariz.

Mas também acredito que as pessoas hoje em dia, necessitam demais de acreditar no paraíso. Necessitam demais de alguém que lhe garanta que a vida é muito mais do levar coice daqui e dali. E é dessas pessoas, mais carentes e da sua fragilidade que estes gurus se aproveitam. Não posso esquecer uma reportagem doentia que vi, em que uma dessas seitas, puniu um bebé de 9 meses, a um mês sem comer. Nem preciso dizer o final triste que este inocente teve.

Era um assunto que daria um debate interminável. É uma boa forma de encarar o silêncio, um silêncio ao qual as pessoas se submetem em troca de promessas de um mundo melhor, quando o mundo somos nós que o fazemos. Com as nossas convicções e acima de tudo com a nossa voz, a qual deveria ter sempre lugar e sempre ser ouvida.

Desculpa o testamento... vou-me calar. Beijinhos :)
Excelente post!
Gingerbread Girl disse…
Brilhantemente escrito, tal como já nos habituaste.

Essas seitas são, infelizmente emergentes.

Há no entanto uma pergunta que já fiz a várias pessoas... quando é que uma seita deixa de ser seita e passa a ser vista como uma religião?
Visto que todas as religiões nasceram de pequenos núcleos iniciais... ;)

bjinhos*
Melga disse…
Depois de te ler, fico sem palavras e medito em silêncio no poder das mesmas para a reconstrução da nossa vida.

Bjo*
johnny disse…
Sim, uma nota, eu também vi a Oprah e essa reportagem dos Texanos...

(Com esta afirmação e a outra cena da sensibilidade, a minha machice está cada ve mais em causa, Mary)

Uma vez, em Braga, para a escolinha (ou faculdade, como lhe chamam alguns finórios - viram o que eu fiz? Chamei na mesma faculdade, mas fiz uma crítica que me deixou passar incólume)

Mas disperso-me.

Uma vez, para um trabalho de Sociologia, fomos à Igreja Universal do Reino de Deus (fomos a outras, mas essas não interessam) e na conversa com um dos ministros ou lá como lhe chamam, cheio de anéis de ouro e tal, ele diz, falando especificamente para uma das minhas colegas: "você tem um buraco dentro de si, um vazio que precisa de preencher com algo" e é nestas conversas que eles atraem o pessoal. Quem não precisa daquilo, quem não tem problemas, será difícil cair na teia, mas quem está no meio da merd@ e procura uma solução o todo o custo já terá mais dificuldade. E era esse tipo de pessoas, sem um sorriso na cara, com as suas maleitas e o seus problemas que se viam por lá, carregados de sacos de compras e dinheiro para darem como oferta.
Para quem acredita, nada do que se diga serve para demover, para quem não acredita, nenhuma prova é suficiente. Enquanto houver problemas haverá sempre alguém a aproveitar-se das pessoas que os sofrem na pele.

P.S. Tivemos 18 no trabalho.
Olga disse…
Gostei muito desta tua publicação, penso que as pessoas procuram saídas para os seus problemas e encontram outros ainda maiores. O maior cego é aquele que não quer ver, e é o que acontece nestas seitas, as pessoas não querem ver que os "grandes" só o fazem para proveito próprio e que se a solução fosse a pobreza eles não construiam grandes casas, não tinham aviões particulares nem viviam rodeados de grandes luxos. Estou contigo Mary, vamos acabar com este silêncio!
Eva Gonçalves disse…
Tal como a Lala, eu considero-me mais espiritual.. tenho uma fé que é individual... e dificilmente me apanharia nessas malhas, mesmo numa situação mais vulnerável. São empre os mais vulneráveis que são facilmente manipuláveis, e por isso mesmo, a manipulação, é ainda mais detestável Mas também considero que nem todos os movimentos religiosos, são seitas e prejudiciais... o problema ocorre, quando se exerce poder sobre as passoas, para se afastarem como disseste e se submeterem ao poder exclusivo de um líder. Outro grande tema que daria muitas mangas!! :)Beijo
meldevespas disse…
Importante a tua chamada de atenção!
Creio que é mesmo a vontade de acreditar em alguma coisa, junto com a real perda de afectos da sociedade de uma forma geral que leva as pessoas a estarem mais vulneráveis a essas situações. E este tipo de fraqueza espiritual que se traduz nessa busca oca, não escolhe idades nem cores nem nada!
Falas dessa seita da IURD, e posso-te dizer que vi pessoas cá da terra entregarem.se de uma maneira completamente fanática, porque pensaram estar ali a sua salvação (seja lá isso o que fôr)...e empenharam o seu ganha pão naquilo.
Depois, assim, num puffff acabou tudo. Tristeza, mesmo.
Até na Fé, é preciso ser-se contido e pouco ganacioso.
Beijos e parabéns por mais um belíssimo texto
Tulipa disse…
O sofrimento, a vulnerabilidade de quem está sofrer leva ao desespero, à fé por algo miraculoso...e as más intenções aparecem, dissimuladas, prontas para fazer vingar a sua vontade! Gostei muito do texto! Kisses
Di disse…
Não sei o que é pior, pessoas que fazem esse tipo de coisas, ou pessoas que deixam que lhes façam isso.
Acho que é preciso ser-se muito fraco de espirito e ter-se bases muito fracas para se deixar que algo desse género aconteça...

Mas como sempre, um texto espectacular :)

Beijinhos**
Di disse…
Não sei o que é pior, pessoas que fazem esse tipo de coisas, ou pessoas que deixam que lhes façam isso.
Acho que é preciso ser-se muito fraco de espirito e ter-se bases muito fracas para se deixar que algo desse género aconteça...

Mas como sempre, um texto espectacular :)

Beijinhos**
A.S. disse…
A manipulação das massas, é a responsável directa por grande parte das flagrantes actividades fraudulentas que todos sabemos que existem!
Sem colidir com a intocável liberdade de pensamento, é necessário que todos estejam alerta contra práticas que apenas pretendem usar as pesssoas para fims que nada têm de socialmente relevante!

Um beijo
AL
Pedrasnuas disse…
ESTAS SEITAS SÃO PERIGOSAS...AS PESSOAS ENTRAM PARA UM PARAÍSO E DEPOIS ACABAM COMO DIZES E BEM NUM INFERNO...PORQUE OS LÍDERES DAS SEITAS NORMALMENTE SÃO INTELIGENTES,ESPERTOS MAS SÃO INDIVÍDUOS ALTAMENTE DOENTES,SÃO PSICOPATAS...POR ISSO FECHAM O GRUPO E CONDUZEM-NO À ALIENAÇAO. ASSIM PODEM MANIPULAR AS PESSOAS COMO ENTENDEM. QUANDO OS CRENTES REAGEM MAL E DESEJAM SAIR SOFREM PUNIÇÕES E ATÉ SÃO ASSASSINADOS...
LEMBRO-ME DE UM GRUPO NÃO SEI BEM EM QUE PARTE DO PLANETA EM QUE TODOS SE SUICIDARAM...UM SUICÍDIO COLECTIVO...
É COMO OS GRUPOS TERRORISTAS ...QUE SE FAZEM EXPLODIR EM NOME DE UM LÍDER,DE UM DEUS CRIADO À SEMELHANÇA DO SEU CRIADOR,UM LUNÁTICO.

ESTES LÍDERES SÃO A CHAGA VIVA DO PLANETA...

BEIJINHOS E BOM FIM DE SEMANA

PARABÉNS PELA ORIGINALIDADE DO TEMA
Patty disse…
Não vou deixar esse silêncio entrar na minha vida, gosto demasiado da minha liberdade e da minha vida.
Bom fim de semana.
Bjocas
Patty
JPD disse…
O comportamento das pessoas perante a religião é muitas vezes excessivamente reverencial.

Julgando ter esgotado todas as possbilidades, todos os recursos, fragilizadas emocionalmente, entregam-se a práticas e organizações religiosas que lhes dizem o que elas anseiam ouvir e, nesse contexto, são incapazesde discernir que não estão a ser respeitadas.

O que acontece com a religião, acotece no futebol, na política, em situações de pânico: tomam-se atitudes onde não há um pingo de razão, numa irracionalidade sem limites.

Saudações
MZ disse…
Eu sou como a Patty, também não vou deixar entrar esse silêncio, a não ser que me hipnotizem ou me façam uma lavagem ao cérebro.
As seitas metem-me medo.
Beijinhos
Manuela Santos disse…
Olá,
Tudo o que diz, sintoniza com o que eu penso. Nunca fui crente, em nada e muito menos seria destas seitas onde se vê de imediato o oportunismo e o espectáculo, com que se movimentam. Oportunismo porque a crise ampla em que se vive, profissional e afectiva, propricia a isso, espectáculo, porque são cativantes para certas pessoas.
O que escreveu deu-me no entanto uma visão mais ampla de tudo.Obrigada
Bjs,
Manuela
ººº
É isso mesmo amiga:

O silêncio (...) é uma virtude que nos torna agradáveis aos nossos semelhantes

Bjos__incongruentes
Brown Eyes disse…
Para todos os amigos e visitantes - Desculpem o atraso na resposta aos vossos comentarios mas, como aparece no canto direito do blog, estou de férias, umas férias necessárias, o que contribui, também, para o pouco acompanhamento das vossas publicações. Esta é sem dúvida a parte mais difícil, não poder acompanhar as pessoas que gosto de ler. Penso faze-lo logo que regresse. Sempre que tenha oportunidade espreitarei. Beijinhos a todos.
Brown Eyes disse…
Helga como tu dizes e bem este post não é só um grito às seitas mas ao fanatismo que leva à tomada de atitudes impensáveis e pouco próprias de seres racionais. Daria mesmo um debate interminável. Infelizmente ou felizmente, há sempre um lado positivo e negativo em tudo, vivi muito perto de pessoas fanáticas e pude observar o poder da manipulação e a pouca defesa que muita gente tem.
Por acaso não tinha ouvido, nem conhecia, a história que contas mas deste um bom exemplo do perigo do fanatismo. Punir um inocente é o cumulo. Não consigo compreender como alguém se submete ao ponto de sacrificar um inocente. A punição, nesses casos, devia ser muito mais severa. Não temos dúvida que aqui a loucura caminha lado a lado com esta gente, quer líder quer aderentes mas ela não devia ser motivo para desculpabilizar tão horrendo crime.
Beijinho e obrigada por teres enriquecido este post.
Brown Eyes disse…
Helga esqueci-me de algo muito importante: aqui nunca te cales, diz tudo o que tiveres vontade. Dou valor às vossas opiniões, mesmo que elas sejam contra as minhas, aos vossos testemunhos e, se reparares, são eles que têm enriquecido os meus posts.
Obrigada
Brown Eyes disse…
Ginger perguntas quando uma seita deixa de ser seita e passa a ser religião? Ou será quando uma religião passa a ser seita? Vou dar-te uma opinião pessoal que transmite a minha opinião de religião e seita. Religião baseia-se na fé, na busca de uma força que resolva todos os problemas, que ajude a encarar o futuro com optimismo e passa a ser seita sempre que alguém se aproveite dessa fé, em proveito próprio, para fazer dinheiro e subordinar alguém, adquirindo, assim, poder. O homem procurou sempre encontrar apoios, seres superiores, que o ajudassem a vencer os problemas do dia a dia. Ele é um ser frágil por natureza. Errado está quando há um aproveitamento dessa fragilidade humana e, aí, surge a seita. O problema não está na formação de grupos, de núcleos, está no aproveitamento, na utilização que é feita dos mesmos. Existiriam religiões se tivessem, apenas, como objectivo o bem-estar dos seus seguidores. Concluindo: não existem religiões mas sim seitas que são mais ou menos aceites, mais ou menos perigosas.
Boa pergunta a tua, espero que te agrade a resposta senão...contesta. :)
Beijinho grande
Brown Eyes disse…
Melga obrigado por mais uma visita. Beijinho
Brown Eyes disse…
johnny eu não vi a Oprah, deixei de vê-la desde que foram lá os ingleses, os ditos pais da Maddie. Não gosto de ver programas em que a verdade nos é imposta e não são ouvidos os dois lados. Não vi, portanto, o dito programa. Tens toda a razão. Quando alguém tem problemas nota-se na sua fisionomia, com grande facilidade e será nessas pessoas que eles apostam. Eu, às vezes, gosto de testar as minhas teorias e testei as seitas. Fui a uma reunião de uma seita. Antes contaram-me em traços gerais como funcionava, claro que fiquei à espera de grandes revelações naquela noite. Não sou facilmente influenciável por isso não temo testar e testar-me. Entrei e dirigiram-me a uma sala escura onde fui purificada. Enquanto ao lado estavam a ser transmitidas grandes revelações, as pessoas estavam possuídas por demónios, a mim nada disso me foi dito. Em seguida era a missa e a bênção de água, que as pessoas tinham levado para purificar. No fim ficava-se à espera de entrar novamente na dita sala escura onde seriam feitas as revelações do que nos perseguia e não nos deixava desenvolver a vida normalmente. Comecei a ouvir gritos, tipo almas do outro mundo, não faltavam as asneiras. Começaram, então, várias pessoas, que aguardavam vez para entrar a chorar como Madalenas. Eu continuava impávida e serena a aguardar a minha vez tentando chamar as pessoas ,perto de mim, à razão. Mas elas em vez disso tentavam explicar-me como aquilo tudo era fantástico. Quando fui chamada para a dita sala, esperava ouvir alguém do outro mundo, como tinha acontecido com todos mas, ninguém apareceu. A minha postura demonstrou àquela gente que não valia a pena perderem tempo comigo. Foi uma óptima experiência que me levou a tirar muitas conclusões sobre esta gente que aprende a analisar, com grande facilidade, quem tem à frente. Não basta ter-se problemas para se aproveitarem é também necessário sentirem-te frágil. Há muita gente que por mais problemas que tenha nunca perde a noção da realidade, nem acredita em tudo que lhe apresentam.
18? Óptima nota.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Olga exactamente. Se a intenção fosse a de ajudar seria feita a custo zero mas, não é assim. O que é certo é que as fortunas existem o que comprova o que aqui foi dito e o que é sentido por quem se deixa levar.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Eva um tema que dá mesmo pano para mangas. Como disse à Ginger só não é seita a religião que tem como objectivo o bem-estar sem pedir nada em troca. Infelizmente ainda não consegui conhecer nenhuma. Na religião católica não se enterra uma pessoa, nem se baptiza ninguém se não houver contrapartida, o tostão. Quem não tiver vai para o inferno. Não se tem em conta o bem que se possa fazer mas sim o proveito que uma atitude possa trazer.
Muitos mais exemplos há e de outras religiões.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Mel temos que analisar tudo, infelizmente, para sabermos até que ponto podemos sair prejudicados. Vi, também, algumas pessoas, serem engolidas pelas verdades da IURD e nada pude fazer para as demover. Basta falarem em Deus para tudo ser verdade e quem não acredita é Herege e anda com o diabo no corpo.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Tulipa fico triste por não se amar mais o ser humano e por o dinheiro ter mais força que uma vida. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Di tenho a mesma opinião que tu:
Não sei o que é pior, pessoas que fazem esse tipo de coisas, ou pessoas que deixam que lhes façam isso.
A diferença está no que move as pessoas: uns confiam demais, não se precavendo mas, agem de boa fé. Querem apenas a solução dos seus problemas. Os outros agem por má fé e pretendem o lucro, não olhando a meios para atingirem os fins.
Obrigada e beijinhos
João disse…
Passei para te deixar um beijo.
Já tinha saudades de te ler.
Ainda continuo é com saudades de me ler...
Beijo.
Gingerbread Girl disse…
Mary, nunca te preocupes com o facto de eu gostar ou não de uma determinada opinião. ;)

Achei a tua resposta brilhante, if I might say.
Eu estava a falar num contexto social... visto que tudo o que é minorias religiosas é ostracizado, mas a tua resposta abafou essa minha questão.
Nem mais. É isso mesmo! Que se lixe o contexto social.
Basta haver alguém a lucrar com a fé para que o conceito se torne nefasto.


bjinhos e continuação de boas férias. *****
Brown Eyes disse…
A.S como referes um bom comunicador consegue manipular grandes massas ao ponto de o que se chamava fraudulento e era crime deixar de o ser, num ápice. Óptimo seria que todos pudéssemos manter o nosso pensamento livre de qualquer pressão e opressão.
Beijinho e obrigada pela tua participação.
Brown Eyes disse…
Pedrasnuas o problema reside na inteligência que os psicopatas possuem, capazes de alterar completamente a realidade e criar ilusões que, mais tarde ou mais cedo, acabam por cair por terra. Tarde demais às vezes, entretanto perderam-se muitas vidas.
Beijinho grande e obrigada pelo teu apoio.
Brown Eyes disse…
Patty pela nossa vida vale a pena estarmos atentos. Beijinhos e obrigada pela tua participação.
Brown Eyes disse…
JPD tocaste em algo importante: o respeito. A perca do respeito por nós próprios leva ao silêncio, à aceitação de uma vida pouco digna.
Beijinho e obrigada pela excelente participação.
Brown Eyes disse…
MZ o que queremos é manter o espírito de critica vivo e enquanto o tivermos ninguém nos consegue silenciar.
Beijinho grande e obrigada
Brown Eyes disse…
Manuela obrigada pela tua participação e por teres feito um resumo do que leva ao aprisionamento. A insegurança profissional e afectiva é, sem dúvida, um dos motivos da fragilidade que os manipuladores aproveitam, sem dó nem piedade.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
JOTA ENE obrigada por mais uma visita e um comentário.
Vamos então mantermo-nos em silêncio, se o nosso objectivo é sermos agradáveis. O meu objectivo não é esse, como deves entender.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Ginger o que ostraciza é o desconhecimento de algo que nasce, seja ele religioso ou não. As pessoas não aceitam, com facilidade, a inovação. Já tiveste oportunidade de ver que, mesmo a nível político, continuasse a apostar nos mesmos mesmo tendo resultados negativos mas, o desconhecido aterroriza. Quanto mais elementos tiver a seita e mais velha for mais facilidade tem em ser aceite, considerada religião, e menos em causa será posta a sua veracidade. O mesmo acontece com os partidos políticos. Ai entra a mentalidade das pessoas que analisa determinado fenómeno dando sempre credibilidade ao número de seguidores e ao tempo de existência. Aquelas pessoas que tendem a seguir a maioria, que não tomam decisões nem fazem análises pessoais acreditam no que a maioria acredita. Já para não falar na tradição, familiar e nacional, que tem grande peso quando se escolhe uma religião. Socialmente são estes os aspectos, penso eu, que levam a considerar uma religião e outra seita. Mas como te disse eu analiso-as pelo lucro ou não que elas obtém. Tudo que é espiritual não pode nunca estar ligado ao lucro nem ao poder.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
João obrigada pela tua visita. Nós temos imensas saudades de te ler. Demora muito ainda? Esperamos ansiosos. Beijinhos
João disse…
Por um lado, a questão logística já está resolvida. Agora a parte criativa, essa ainda não quis dar sinal de vida. Deixa, virá quando assim tiver que ser. Enquanto isso não acontece, cá estarei para vos ler. E este texto merece mais que uma leitura. Merece a minha reflexão. Por isso, voltarei com mais tempo.
Beijo.
Brown Eyes disse…
João a pouco e pouco, com calma, tudo se resolverá e da melhor maneira. Desejo tudo de bom para ti. Beijinho grande
Melga disse…
Voltei ao teu texto...reli...continuo a gostar e a compreender que o Universo está cheio de manipuladores silenciosos...tudo em nome de Deus, Alá Jeová....off
Melga disse…
Voltei ao teu texto...reli...continuo a gostar e a compreender que o Universo está cheio de manipuladores silenciosos...tudo em nome de Deus, Alá Jeová....off
Brown Eyes disse…
Melga em nome de Deus, Alá, Jeová e do POVO.
Beijinhos
Rita disse…
realmente estas seitas deviam ser consideradas crime, não podia estar mais de acordo contigo;
uma religião deve «fazer-nos felizes», porém mostrar-nos a realidade e conferir-nos liberdade para escolher-mos o nosso trilhi, de felicidade ou não!

em segundo lugaR, Não tens nada de pedir desculpas, deste apenas a tua opinião e eu respeito-a e, até agradeço.
Não vivo apavorada com a ideia de velhice mas sim como a maioria das pessoas lida com ela. no fundo escrevi aquele texto como um grito, gritar que é preciso fazer alguma coisa!
Rita disse…
realmente estas seitas deviam ser consideradas crime, não podia estar mais de acordo contigo;
uma religião deve «fazer-nos felizes», porém mostrar-nos a realidade e conferir-nos liberdade para escolher-mos o nosso trilhi, de felicidade ou não!

em segundo lugaR, Não tens nada de pedir desculpas, deste apenas a tua opinião e eu respeito-a e, até agradeço.
Não vivo apavorada com a ideia de velhice mas sim como a maioria das pessoas lida com ela. no fundo escrevi aquele texto como um grito, gritar que é preciso fazer alguma coisa!
Brown Eyes disse…
Rita concordo plenamente contigo, é preciso fazer alguma coisa para fazer com que a velhice de todos os velhotes seja feliz e se olharmos para eles como seres humanos que são, cheios de conhecimentos, já estamos a fazer alguma coisa. Se nos lembrarmos que seremos um deles,amanhã, mudará, de certo, as nossas atitudes.
Quanto à religião, como tudo, devia dar-nos a liberdade de escolha, apresentando-nos a realidade e, aí, nós optaríamos, tal como tu dizes. Um beijinho e obrigada pela tua participação.
Também não acredito em seitas e sei
de pessoas que ficaram desgraçadas
por causa delas.
Estou durante o mês de Março no
meu blogue http://intemporal-pippas.blogspot.com a dedicar à
mulher e a blogues no feminino.
Gostaria de saber se permite que
faça uma referência ao seu e insira
algo do mesmo. Basta deixar um
comentário no meu blogue.
Desejo que aceite.
Bj./Irene
Brown Eyes disse…
Inês obrigada pelo teu comentário e pelo convite. Acabei de passar no teu blog aceitando-o. Beijinhos
Pedrasnuas disse…
MAS SEGUNDO OS ENTENDIDOS...A PRIMAVERA VAI SER RIGOROSA, A PIOR DA DÉCADA...ISSO QUER DIZER QUE VAMOS TER MAIS PROBLEMAS ALÉRGICOS...QUEM JÁ OS TEM, TEM DE SE PREVENIR...E PARECE QUE ATÉ VOLTAM À HISTÓRIA DA VACINA ...POIS TEM MUITAS DOSES PARA SAIR E AS COBAIAS SOMOS NÓS...

OBRIGADA PELO COMENTÁRIO

BEIJINHOS
Brown Eyes disse…
Pedras ahahahah Será que haverá ainda quem acredite na história da vacina e da gripe A? É capaz. Há pessoas muito crédulas. São essas que enchem os bolsos dos laboratórios. Aceitam tudo o que ouvem e não reflectem. Depois de todos os exemplos que têm vindo a público será que ainda há quem acredite? Mas que é certo é que quem não acredita, como eu e tu, só pode viver preocupado com as proporções que as sociedades capitalistas estão a tomar. Gostava de viver num mundo em que pudesse confiar no que o poder me dissesse, que não tivesse que ter o trabalho de analisar cada palavra e cada atitude dele. Assim vivo sufocada com a preocupação de que o ser humano deixou de ter valor e que por dinheiro não se hesita em pôr vidas em risco. O futuro deste planeta é a destruição dos países pequenos e quem vai ficar são as grandes potências. Será que os nossos governantes não vêem isso? Ou já compraram a passagem para se retirarem? Não são eles que nos deviam proteger? Deviam mas são os primeiros a pôr-nos em perigo.
Beijinhos
Pronúncia disse…
Enquanto as pessoas sentirem os seus problemas interiores como algo que pode ser resolvido exteriormente a elas haverá sempre seitas a aproveitarem-se disso... e o desespero leva à radicalização. Os líderes de seitas sabem e manipulam as fraquezas humanas melhor que ninguém!

São criminosos.

Bom domingo
Pedrasnuas disse…
AI BROWN EYES...PROTEGIDOS POR ELES?! ISSO É UTOPIA!!!! NÃO DEVIA SER MAS...SOMOS ENGANADOS,TRAÍDOS, HUMILHADOS JUSTAMENTE POR AQUELES A QUEM DEMOS O NOSSO VOTO!!!!!!...LAMENTAVELMENTE....

(AINDA NÃO TINHA DITO MAS GOSTO

MUITO DESSAS FOTOS- "AGUARDANDO POR TI".E "SILENCIOSAMENTE PODEROSA")

BEIJINHO E BOA SEMANA
Brown Eyes disse…
Pronúncia penso como tu: os nossos problemas interiores devem ser resolvidos por nós e é isso que deve ser dito às pessoas pelos psicólogos e psiquiatras. Os problemas podem levar a anulação da auto-estima e o que há a fazer é levanta-la, só e apenas isso. Com auto-estima tudo acaba por se resolver.
Obrigada pela tua visita e pelo excelente comentário que aqui deixaste. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Pedras é mesmo. Pobre de quem não consegue atingir, entrega-se à bicharada.
Quanto às fotos também gosto, pena não serem minhas :)
Beijinhos
Paulo disse…
É espantoso a forma como tu do "nada" consegues dizer tanto. O silêncio é o quê? Nada! Nadinha. É o vazio, é a inexistência.
No entanto tu pegaste no temo e descarregaste aqui (de improviso, aposto) uma montanha enorme de palavras.
Todas elas com sentido. Impressionante.
É um dom. Sabias? ;)
Brown Eyes disse…
Paulo obrigada pelo elogio. Todos os temas servem para dizermos o que queremos, para alertarmos, ou para abordarmos assuntos simples ou complexos, só precisamos de querer fazê-lo e é o que muitas vezes falta: vontade.
Beijinhos
Brown Eyes

Desculpa o meu silêncio, feito de
problemas de saúde. Estou melhor!

O tema de que falas está muito bem delineado e bem escrito.`
É, extremamente actual e as coisas passam-se como tu dizes.

Encontrei em S.P. Brasil, num local bem colocado, uma Igreja do Reino de Deus.
Era de tal forma que me pareceu ortodoxa.
Eles estão em todo o mundo!

O fenómeno me parece vir da Igreja
Católica, demasiado funcional e pouco espiritual.
As pessoas procuram calor humano.
O Catolicismo é frio, dogmático,
~diz e não diz e as pessoas carentes vão aos "vendedores de ilusões" e eles as acarinham, as
manipulam e elas (pessoas - milhares) se deixam influenciar
e se perdem com essa gente.
Há mais! Mas é necessário força
para combater os falsos milagres e
nem todos têm essa força.

Se fanatizam e tudo quanto é fanatismo, de qualquer espécie, está errado e leva o individuo a tudo, inclusivé à morte.

Muito bom o teu grito de revolta.

Volta até mim que escrevo poesia e sou "mansa de coração".

Com ternura, te deixo minha saudade

Mª. Luísa Adães
e a historia de Alice, lá continua....
no
... continuando assim...

mais logo, um novo capítulo

um obrigada a quem segue (porque só vale a pena assim).

Um especial convite, para quem ainda não mergulhou naquela história.
...é só uma história, apenas isso.

obrigada
e até logo
Bj
teresa
Brown Eyes disse…
continuando assim como já te expliquei uma vez não ando com muito tempo livre. Para mim é essencial acompanhar as pessoas que admiro e nem isso consigo fazer. Primeiro motivo porque ainda não te visitei. Segundo motivo detesto publicidade, sinto que invadem o meu espaço. Quando ela existe é porque o produto necessita dela para ser vendido mas eu nunca precisei dela para comprar fosse o que fosse. Sempre soube o que queria, demais, por isso quando vou às compras dirijo-me directamente ao que necessito. Podem oferecer-me tudo e mais alguma coisa que continuo a não comprar o que querem mas sim o que eu quero. Vou ser muito sincera contigo, espero que entendas e modifiques a tua atitude, ok? Em vez de entrares e saires nos blogs a anunciares um tal livro que tal debruçares-te sobre o que as pessoas têm escrito? Se fizesses isso já terias entendido que tipo de pessoa eu sou e que esse tipo de atitude, que considero egoísta, comigo não pega. Desculpa mas tinha que to dizer. Emenda-te e terás o pessoal a ler o teu livro. Xau
Paulinha disse…
Excelente texto (e comentários), menos não esperava!

A minha opinião vai ao de encontro das que li aqui.

Não sei, sinceramente se haveria alguma coisa, ou em que estado mental teria que estar para seguir por esse caminho de pseudo paz e blá, blá, blás que tentam "essas" pessoas impingir (porque é essa a palavra correcta)... a sério, vá lá...

Give me a brake, como é que alguém se despoja de bens essenciais, acabando por prejudicar e preocupar a familia e espera alcançar a paz?!? É puro egoísmo, a meu ver! E "um pau mandado" (ou "maria-vai-com-as-outras") sem pingo de auto estima...

O que existem é muitos espertalhões, com muita lábia, e que sabem dizer exactamente o que a pessoa pensa que precisa ouvir, e aproveitam-se disso!

É uma vergonha, no mínimo!
Brown Eyes disse…
Paulinha obrigada. Existe muita gente a aproveitar-se da desgraça alheia. É exactamente isso: dizem exactamente o que as pessoas querem ouvir.
Beijinho grande e que tudo te corra bem. Torcemos por ti.
Fernanda disse…
Obrigada pela visita ao meu blog. O que eu comentar sobre seu texto belíssimo, está exatamente no perfil do seu blog: "é preciso alcançar o grau de conhecimento que permita, sempre, dar espaço ao outro e admitir que a verdade, tal como tudo, é subjectiva, irreal e ilusória."
Olga disse…
Passei para te deixar um grande beijinho, agradecer sempre as tuas palavras carinhosas nos nossos blogues e passeia bastante este fim de semana com o teu amor e tira fotos...
A.S. disse…
Vim reler, rever-te... e deixar um beijo!

AL
A Tela disse…
O "teu" Silêncio é um Grito de Alerta, o "meu" é um Apelo :) Excelente, ao nível que nos habituaste :) Obrigada pelo gentil comentário sobre a minha participação, beijo grande
Brown Eyes disse…
Fernanda obrigada pela tua visita e comentário. Essa frase tem muitos pontos a abordar mas, tudo parte da aquisição de conhecimentos que permitirão, ao individuo, chegar à sua verdade podendo, por si próprio, tomar uma posição, opção ou atitude na vida.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Olga passeei bastante e o Montanha tirou umas fotos, como adivinhaste?
Beijinhos e obrigada.
Brown Eyes disse…
A.S. obrigada pelo miminho. Um beijinho para ti também.
Brown Eyes disse…
Tela obrigada. É para mim um prazer passar nos vossos cantinhos, senão não o faria. Beijinhos
Fê-blue bird disse…
Infelizmente a sociedade está carente de valores de ideais e há sempre quem se aproveite disso.
Gostei bastante e vou ficar por aqui!
Um beijinho
Brown Eyes disse…
Fê-blue bird obrigada pela visita e pelo comentário. Infelizmente são os mais inocentes aqueles que sofrem as consequências da falta de valores desta sociedade.
Beijinhos
Paulo disse…
Oi. Se tiveres tempo, passa lá pelo meu blog. Há uma nova pessoa para conheceres ;)
***
Brown Eyes disse…
Paulo obrigada. Vou já passar por lá. Beijinho grande amigão.
Anne disse…
Se ainda não viste o Jesus Camp aconselho-te. é o exemplo perfeito de tudo o que aqui foi descrito. uma seita autêntica. Quando o vi só me apetecia vomitar com o conteúdo, principalmente porque se tratam de crianças, o futuro do mundo. P assusta.

por acaso vejo a Oprah e vi esse programa mas desde o episódio MacCann que ela perdeu muito, para mim.

beijinhos.
Brown Eyes disse…
Ana ainda não vi. Vou seguir o teu conselho. Eu acho que nós temos muita coisa idêntica e a Oprah perdeu muito para mim com o episódio MacCann, tanbém. Nunca devemos perder a objectividade e ela perdeu-a com o MacCann. NBão sabemos nada mas sabemos, pelas atitudes que há ali um grande mistério e acho injusto que pague quem não merece só porque alguém tem poder ou está ligado ao poder. Beijinhos
Aninhas disse…
Vi aqui por conselho de uma outra blogger...

E devo dizer que partilho da tua opinião naquilo que concerne às seitas. Aquilo não passa de uma ilusão. Choca-me ver que há pessoas que dão tudo o quanto possuem por uma suposta salvação... Que abdicam da familia e, principalmente, de si mesmas.

Bjx
Brown Eyes disse…
Aninhas obrigada pela tua visita e obrigada à blogger que te aconselhou a visita. É precisamente esse o motivo que me levou a fazer esta publicação. Beijinhos
A. João Soares disse…
Amiga Brown Eyes,

É o primeiro comentário que aqui trago e faço-o com a emoção que compreende, depois de ter visto a transcrição deste texto no seu novo blog Sempre Jovens.

O que nos deve amedrontar mais não são as exaltações dos «maus» mas o silêncio dos «bons», dos «bem comportados» que, como ovelhas abúlicas, aceitam a exploração pacificamente, impassivelmente, sem o mínimo gesto da «indignação» a que Mário Soares repetidamente se referia, depois de deixar de ser PR.

Quando as pessoas despertam da sonolência que lhes foi induzida, podem ser pouco serenas, mas é preferível correr alguns riscos do que deixar que continuadamente sejam exploradas na sua inocência anestesiada. A Tunísia e o Egito deram exemplo de um povo evoluído, inteligente e sereno e de governantes que mostraram compreender que o seu dever não era de esmagar o povo, cortar pela raiz a sua vontade de liberdade e a sua própria vida, ao contrário do que está a acontecer, criminosamente, na Líbia.

Ninguém é de ninguém. Ninguém se deve deixar amarrar, a ponto de não poder pensar e escolher o que é melhor e rejeitar a opressão e aqueles que só pensam nos seus próprios benefícios e vaidades. Ninguém tem o direito de submeter uma nação, aplicando-lhe pesticidas como se os cidadãos fossem micróbios que lhe estragassem a sua seara pessoal.

Cara Brown Eyes, prevejo e desejo que tenha o maior êxito na sua nova equipa que, sem dúvida, a vai apreciar e receber com carinho. Leve para lá as belas reflexões filosóficas contidas no «Just a Woman» que merecem ser apreciadas e que, agora, dispõem de uma nova montra, onde contribuirá para melhorar a humanidade neste momento histórico em que estamos e a entrar.

Desejo-lhe o maior sucesso e que se sinta bem.

Beijos
João
Do Miradouro

Mensagens populares deste blogue

Carnaval de Vermes

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…