Avançar para o conteúdo principal

Aguardando por ti

Somos insaciáveis, queremos porque queremos conhecer. Conhecer o desconhecido, conhecer o futuro. Perdemos tempo e dinheiro, perdemos a beleza da surpresa, a beleza do mistério. Ele fascina-nos mas, quando se fala de velhice, tudo começa a ficar turvo e não há enigma que alicie.
Ela chegará, passo a passo, devagarinho, mudando a cor do cabelo, a força dos membros, o poder da vista, a dureza dos ossos.
Olharei para ela, de frente, cara a cara e sorrirei. Ela é minha e como minha amá-la-ei. Amá-la-ei  e respeitá-la-ei como, sempre, me amei e respeitei.
Medo? De quê? Já caminhámos tanto, já desviámos tantas pedras juntas, já transpusemos tantas vedações, nunca desistimos. Vamos fazê-lo agora? Com esta idade? Não. Vou enfrentá-la. Enfrentá-la com a mesma força que enfrentei a primeira queda, o nascimento do primeiro dente, o primeiro dia de aulas ou, até, o primeiro beijo.
A mudança nunca me assustou. Vou agora renunciar a tudo? Deixar-me vencer por uma realidade que se tem vindo a anunciar? Não. Estou preparada.
Hoje que tenho a experiência acrescida, o conhecimento ampliado e que a calma reina estarei, mais que nunca, preparada para a acolher.
Lutarei. Lutarei para poder caminhar, devagar, para poder pensar, ordenadamente, para poder beneficiar do silêncio, comodamente, para poder usufruir da liberdade, soltamente, sem horários, sem normas laborais nem despertadores.
Estarei à tua espera, sentada à porta de um casebre qualquer, recheado de vivências, do amor de uma vida e da felicidade de uma existência.
Brown Eyes
Para Fábrica de Letras: Tema velhice
Foto do  Google

Comentários

Eva Gonçalves disse…
Espero que a recebas assim mesmo, de braços abertos, serena. Sei que é assim que me vejo a abraçá-la... sem pressas... mas sem receios ou adiamentos escusados :)Com a certeza de ter vivido, de ter sentido, de ter amado e sido amada...ah, disso eu tenho a certeza...Um grande beijinho
meldevespas disse…
Queria ter essa serenidade Mary. Não te conheço, mas pelo que vou bebendo de ti, tenho a certeza que estas palavras são cimentadas na convicção, que são de verdade sentidas.
Um destes dias, um velhote explicava-me que tinha tido uma trombose, tinha ficado sem andar seias meses, e agora já tinha recuperado bastante, e acrescentou : "olhe Menina, o que é que se há-se fazer, tiva que a aceitar (a trombose), era minha! Havia de a deixar na rua, à chuva e ao frio!!??" e sublinhava com um sorriso de orelha a orelha.
Beijos grande e que continues sempre assim, no matter what! Inteira, tu!
Di disse…
E é assim que devemos receber tudo o que a vida nos possa oferecer, de bom ou mau. É estarmos prontos e de braços abertos :)

Beijinhos*
Poetic GIRL disse…
Essa é mesmo a forma mais serena de a receber, tendo consciência de esse momento vai chegar. A velhice não me assusta, assusta-me a possibilidade de não chegar a ela. Mas isso nunca saberemos não é? pelo menos até chegar a hora... texto lindo mais uma vez... bjs
Helga disse…
A serenidade da alma é um dom supremo. Encarar o curso natural da vida com serenidade, é sem dúvida possuir esse dom.

Uma bela reflexão. Que a força de viver e a esperança de alcançar, liderem sempre o teu caminho.

Beijinhos :)
Também espero ter esta serenidade.
A chegada da velhice nunca me atormentou, mas vejo uma pessoa muito querida que não a aceita, que sofre, que já passou por cirurgias plasticas a fim de "conter" a passagem do tempo.

Bem, cada um tem seus pontos a amadurecer. Converso, acalmo, mas está bem difícil.

Linda reflexão.
Mulher a 1000/h disse…
Só te desejo uma coisa, que a tua velhice seja tão sábia, paciente, meiga e amistosa quanto tu! :D - Gostei do texto, gostei da atitude, vou recomendar a leitura do mesmo ao meu pai, se me permites! ;)
Brown Eyes disse…
Eva é assim mesmo que me sinto a aceitar a velhice. Com a minha idade começa-se a pensar muito nela. Ela já se vem anunciando. A vista não é mais a mesma, os ossos esses coitados, enfim. Rugas, essas ainda não as vejo, cabelos brancos há uns três (rsss) mas estas mudanças têm que ser aceites porque, NÂO HÁ MESMO NADA A FAZER, não é? Aceitar o que vem é mesmo a única maneira de se ser feliz. Como sou uma pessoa realista, objectiva, frontal e sincera só poderia ter esta maneira de a receber. Mentir-nos não resolve e fugir muito menos. Detesto perder tempo, ele é tão precioso. Não aceitá-la é perder tempo e a noção da realidade, noção que quero sempre presente em mim.
Beijinhos
johnny disse…
A ver vamos.

Não gosto dessa "sentada à porta de um casebre", pelo menos no que me diz respeito, porque preferirei muito mais "a fugir da polícia chinesa pelas ruas da cidade perdida, depois de levantar as calças"... mas são gostos e formas de encarar a vida que têm de se aceitar.
Brown Eyes disse…
Mel sabes porque fiz este post? Na fábrica li um post sobre a velhice que me assustou. Quem o escreveu tinha uma aversão tal à velhice que até me pôs os cabelos em pé. Espero que essa pessoa leia este post e mude de ideias. Era jovem, muito jovem. Fiquei a pensar naquilo e preocupada. Eu seria muito infeliz se pensasse como ela. É que a velhice chega, de certeza, mais depressa do que se pensa, e pensando assim é viver em tormento a cada dia que passa. Todas as etapas da nossa vida têm a sua beleza, as suas incertezas. Porque havemos de temer tanto esta etapa da nossa vida se é na que deviamos ter mais confiança? Não será? Temos atrás de nós uma vida vivida que nos foi calejando. Doenças, problemas de saúde, podem acontecer em qualquer etapa da nossa vida. Não vamos relacionar velhice com desgraça porque a desgraça pode surgir no nosso caminho em qualquer idade. Se olharmos para o lado chegaremos a essa conclusão.
Esse velhote é cá dos meus. Beijinho Grande Mel
Brown Eyes disse…
Bela a velhice tal como a morte não me assustam o que me assusta é o sofrimento. Sofrimento provocado por uma doença prolongada, sofrimento que pode chegar na juventude. AVCS, cancro, não é doença de velhos, há muitos jovens a terem essas doenças e a morrerem delas. É preciso que as pessoas comecem a encarar a velhice como uma etapa da vida tão natural como a juventude. Uma etapa da vida que tem tudo para ser boa porque há um traquejo adquirido. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Di sei que és mulher para isso. Força e determinação não te faltam. Encarar, aceitar, tirar partido da parte boa das coisas é a única maneira de vivermos em plenitude. É o que queremos não é? Beijinho grande
Brown Eyes disse…
Helga encarar serenamente o futuro é o sinal que damos de conseguirmos superar as adversidades que a vida nos vai proporcionando. Um beijinho Grande para ti
Brown Eyes disse…
Ana Cristina essa pessoa de quem falas precisa de ajuda, de muito amor e carinho. Ela está convencida que as pessoas só a aceitarão enquanto ela for bela físicamente e não é assim. Pessoas, aquilo a que chamamos pessoas, há muitas que não o são, dão valor ao que ela é, não ao que aparenta ser. Conheço muita gente bela exteriormente que não tem aceitação, que não é desejada, impõe a sua presença. Não é? Depois nós temos que ir aprendendo, à medida que o tempo passa, a moldarmos a nossa imagem às transformações que vamos sofrendo. É possível ter-se uma bela imagem, se esta é a preocupação da pessoa, sem necessitarmos de cirurgias, aprendendo apenas a vestirmo-nos e arranjarmo-nos de acordo com o aspecto que temos. Estou convencida que se lhe fizeres ver a importância que ela tem na vida das pessoas, tal como é, talvez ela comece a aperceber-se que o amor não está ligado ao aspecto físico e quando está não é verdadeiro. Tocaste aqui num aspecto importante: velhice versus beleza. É isto que muitas vezes leva as pessoas a temer a velhice. Pensam que se envelhecerem não serão amadas como o foram toda a vida. Se assim for é porque não havia verdadeiro amor. Beijinho grande
Brown Eyes disse…
Sílvia se este post conseguir alterar a posição das pessoas para com a velhice ficarei feliz. Se as pessoas pensarem bem ela é apenas mais uma etapa na nossa vida. Uma etapa em que sofremos alterações físicas, como sofremos na adolescência, na qual temos tudo para ser felizes e temos, ainda, os netinhos. Se aceitamos as alterações da adolescência porque não havemos de aceitar estas? Não é? Espero conseguir transmitir a minha mensagem ao teu Pai. Beijinhos
Brown Eyes disse…
johnny vou explicar-te o significado de "sentada à porta de um casebre". SE tu fizeres grandes planos e por qualquer motivo te sairem furados vais-te sentir desanimado. Se fizeres planos normais e obtiveres muito mais vais-te sentir incentivado. Nos meus planos está um casebre, até porque para mim a vida espiritual é mais importante que a financeira, se vier um palácio melhor ainda. O segredo da felicidade está aqui: não exigir demais da vida. Beijinhos
Brown Eyes disse…
johnny vou explicar-te o significado de "sentada à porta de um casebre". SE tu fizeres grandes planos e por qualquer motivo te sairem furados vais-te sentir desanimado. Se fizeres planos normais e obtiveres muito mais vais-te sentir incentivado. Nos meus planos está um casebre, até porque para mim a vida espiritual é mais importante que a financeira, se vier um palácio melhor ainda. Este é um dos segredos da felicidade: não exigir demais da vida. Beijinhos
Lala disse…
Enquanto estiver de olhos abertos e o meu coração bater, lutarei e sentir-me-ei sempre EU! Gostei muito desta tua forma de olhar para a velhice. Primeiro a aria, depois "tu". Fantástico, como sempre!!

Beijinhos****
Juana disse…
há dias uma amiga minha, disse-me "eu vou chegar aos 200 anos e serei sempre gaiteira"... se eu chegar à velhice (nunca aos 200) só quero estar lúcida e ter autonomia física e financeira para decidir o meu dia-a-dia! A tua expectativa sobre a velhice é poética, mas perfeitamente possível!bj
Brown Eyes disse…
Lala sei que sim, sei que lutarás e sentirás sempre o teu EU. Temos que ser decididas, sempre, até na velhice. Um beijinho grande
Brown Eyes disse…
Juana como seria a vida sem poesia? Um beijinho
johnny disse…
Chega a ser engraçada a forma como estás sempre enganada :)

Sendo assim, sugiro um documentário para veres e perceberes o quão errada estás. É este
Brown Eyes disse…
johnny ahahahaha vou ver mas arranjaste-me logo um vídeo de 1 hora e tal. Estou curiosa em saber em que estou enganada mas, o meu dedinho acho que já me segredou o porquê? Se não tivermos altos sonhos nunca chegamos a ter nada. Hum...algo assim não? Pois eu penso que as pessoas insatisfeitas nunca são felizes porque querem sempre mais e mais. Aliás já abordei esta ideia por aí nos posts. Depois de ver o vídeo falamos. Beijinhos
Patty disse…
Olá Mary, acho que tens razão, vamos aceitar a velhice para podermos viver a vida que nos resta, aproveitar todos os dias, aproveitar para fazermos coisas que não conseguimos fazer até hoje.
Acho que temos de viver, e não estar à espera que a nossa vida acabe.
Bjocas
Patty
Melga disse…
Alguem dizia que as palavras são como as cerejas, seduzem-nos e zás, quando damos por elas já não há...assim é a vida num mundo de seduções em que a maturidade do fruto aumenta o gosto e o prazer de viver.
Velhice um estado de vida onde apenas importa garantir é a qualidade da mesma.

Bjinho* envelhecido.
Raven disse…
Eu espero recebe-la e poder contar-te como foi que a vi chegar. ;)

Abraço*
Olga disse…
Querida Mary, Eu também! Mais palavras para quê? Beijinhos. (Adorei o texto!)
MZ disse…
Pensar na velhice é algo que a partir de uma determinada idade é inevitável. Quem me dera que a minha velhice chegue assim naturalmente com os anos que a mimnha vida tem direito.
Que se enrugue a minha pele mas que o meu sorriso seja a memória da minha juventude!
Com alguma dignidade e sem solidão é o que eu peço.


um beijinho
Brown Eyes disse…
Patty tenho aqui em casa tantos livros para ler. Não os comprei para decorarem as estantes. Agora o tempo voa, quando damos conta passou um dia e ficou tanta coisa por fazer, não é? Na velhice teremos oportunidade de pôr esses projectos a andar, tempo teremos e vontade não nos faltará. Não é? Projectos é que não faltam a quem não vê a velhice como o fim mas sim o princípio de uma nova etapa em que estaremos mais livres e poderemos, por tal, executa-los. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Para garantirmos essa qualidade temos que, primeiro, gostar dela, não a temer e aceita-la, senão não há qualidade que possa equivaler a felicidade. Depois acabar com a miséria, reformas mínimas, casas com péssimas condições de habitabilidade e abandonados. Há por isso que modificar mentalidades. Começar a ver nos idosos pessoas com dignidade e por isso merecem ter uma vida digna. Nas tribos quem são os conselheiros? Os idosos. Só nesta sociedade os tratam como lixo. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Raven eu espero que me contes. è sinal que vou viver até aos 100 anos (rsssss).
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Olga obrigada. Um beijinho
Brown Eyes disse…
MZ mas é mesmo inevitável. Mesmo que não queiramos pensamos nela e até começamos a prepara-la. Assim será. Eu não quero de maneira nenhuma sair da minha casinha. A minha privacidade é como o ar que respiro. Peço por isso juizinho, até à hora da morte.
Beijinhos
pinguim disse…
Acho que a serenidade, ela própria, vai chegando com a idade.
Gostei muito da forma como acabaste o texto.
Brown Eyes disse…
pinguim obrigada. A idade traz-nos muitas coisa boas, pena que muita gente não as consiga encontrar. A serenidade é sem dúvida uma delas.
Gingerbread Girl disse…
Penso exactamente como o Raven... se é que me entendes. :p

bjinho*
Brown Eyes disse…
Ginger claro que te entendo como tu entenderás, melhor que ninguém, a resposta que eu vou dar ao johnny. ;)
Beijinhos
Brown Eyes disse…
johnny que tarefa me deste, ainda não vi isto tudo, ainda só consegui ver 50 min. Fi-lo por partes mas acho que, apesar de o meu inglês não ser excelente, é razoável, acho que apanhei a ideia do vídeo que é precisamente a que te tinha dado antes: Seguir sonhos e não desistir nunca. Isto tem muito que se diga, como sabes, abrange muito mais do que está no vídeo. Este vídeo serve para incentivar as pessoas, vender uma ideia, a ideia de que devemos perseguir o que queremos. Mas essa é a minha ideia, isso é o que defendo mas, como sabes há pessoas que não o conseguem. Não têm suficiente força para isso e acabam por viver uma vida lamentável de insatisfação. Cada pessoa é um caso. Como te disse há aqui muita coisa ligada, claro que não posso referir-me a tudo mas tu leste Carências à Superfície e aí ficou explicado um bocadinho do que penso desta sociedade de consumo e dos problemas que traz. Agora falando de mim e da minha ideia do casebre e de sonhos. Os meus sonhos de criança foram satisfeitos, por mim, consegui realiza-los todos. Sonhos financeiros nunca tive, tive a obrigação de sustentar uma família e lutar pelo bem estar dela e não houve muros que me derrubassem. Desde o momento que deixei de ter a obrigação do sustento de alguém pude viver a vida que queria viver. O sonho que me sustentou foi sempre ser feliz. Nunca sonhei com uma casa. esses sonhos materiais são futilidades para mim que apenas nos trazem problemas e não nos dão nada. Maneira de pensar que até acho que é a certa. Já lutei para satisfazer esse sonho de alguém, esfolei-me e cumpri-o. Esse alguém teve a casa que queria. Este meu esforço não acabou muito bem. Não tenho muito boa ideia das pessoas que têm sonhos de bens materiais, são traidoras, capazes de tudo para obterem o que querem, fala a experiência. Aqui não vou entrar em discussões porque não quero falar destas pessoas. Há por aí quem sonhou comprar uma casa e tenha descoberto que só arranjou lenha para se queimar. Comprar uma casa, ou se paga a pronto, ou melhor esquecer porque andam a sustentar bancos e acabam por ter despesas maiores do que se alugassem. Dizem que compram para os filhos, filhos que se matam depois pela herança. Vida, para mim não é isto. Aceito quem tenha uma visão diferente da minha mas esta não é a minha e ponto final. Os meus sonhos eram e são espirituais e intelectuais. Nunca ponho em causa a minha independência monetária mas não me mato por coisas superfulas. Sempre fui muito objectiva, perder tempo só a viver, não com sacrifícios superfulos. Sobre sonhos vou dar-te a minha visão actual: o meu sonho hoje é ter tempo para amar, dedicar-me às pessoas como elas merecem. Quantas vezes perdemos tempo com sonhos, que acabam por não nos levar a lado nenhum, e descuramos as pessoas que amamos e nos amam? O tempo é curto e tu não o podes aumentar. Se fazes uma coisa deixas de fazer outra, não é? Pois. É impossível fazeres tudo ao mesmo tempo com perfeição. Como para mim nada é mais importante que o ser humano dedico-me inteiramente a ele, o resto deixo como part-time. Esta visão surgiu com a idade e por causa da minha vivência. Às vezes as necessidades e a importância delas não está muito clara e erramos, temos que aprender com esses erros. Errar uma vez é humano mais que isso é burrice. Um casebre é suficiente para mim desde que dentro dele haja amor e vontade de viver. Cabe-me a mim cultivar essa vontade e dirigir, desde já, esse futuro. Espero que tenhas entendido o que disse e subentendido o que não disse. Eu vivo sempre o hoje como se fosse o último dia da minha vida por isso não gasto tempo com coisas superfulas para usar amanhã porque, amanhã não sei se cá estarei.Pelo mesmo motivo digo tudo hoje, faço o que tenho a fazer hoje e dedico-me às pessoas hoje. johnny as nossas ideias e gostos são o resultado de uma vivência e vivências são únicas. ;)
Beijinhos
Gingerbread Girl disse…
Percebi sim senhora. :p

:D
johnny disse…
Para já, para já, é necessário da minha parte fazer vários parêntesis.

Desde logo, viste a minha crítica ao casebre, como se a minha sugestão a seguir tivesse sido um palacete. Não foi, mas partiste do princípio que a opinião diversa da tua é necessariamente aquela que defende a importância do material em contraposição com a tua que defende o espiritual. è isso que se lê no rebate da minha sugestão.

Segundo parêntesis, por não ser material, não quer dizer que seja mais fácil de alcançar. No que me diz respeito, pelas pessoas que conheço e daquilo que eu já conheço desta vida, a felicidade é o sonho mais difícil de alcançar. Porque é ambíguo, porque temos várias imagens à nossa volta do que é ou não a felicidade dos outros, porque temos muitas coisas para comparar e - também - porque há muita coisa material e supérflua à volta da felicidade que serve para a identificar e limitar as várias etapas da felicidade.

terceiro - e isto pode ser contraditório, mas explica a forma como eu discuto e ganho as discussões - eu até dou importância às coisas materiais! O segredo está em dar-lhes a importância que têm e nada mais do que isso.

Posto isto, vamos começar a verdadeira discussão no comentário seguinte.

(Continua)
Brown Eyes disse…
Ginger sei que percebes a minha visão das coisas melhor que ninguém e entendes mesmo o que não escrevo.
Beijinho Grande.
Brown Eyes disse…
Pensei que tu estavas a defender sonhos materiais. Eu acho que as pessoas que têm esse tipo de sonhos não são lá grande coisas. Descuram demais o aspecto humano da vida.
ESPERA LÁ eu sei que tu gostas tanto de discutir que nem sempre discutes sobre o que pensas e nem sempre mostras o que és. Discutes pelo prazer da discussão. rssss Não é? Sei que quiseste demonstrar que realizar sonhos é importante e se deve lutar por isso. Também acho. Luto por essa ideia. Acho que muitos não têm capacidade para os sonhos que têm e expliquei-te quais são os meus sonhos hoje.
Querido johnny percebi o que disseste, percebi que a critica não foi ao casebre mas à frase:
SE tu fizeres grandes planos e por qualquer motivo te saírem furados vais-te sentir desanimado. Se fizeres planos normais e obtiveres muito mais vais-te sentir incentivado. Não foi?
johnny disse…
Eu comentei que preferia dar por mim "a fugir da polícia chinesa pelas ruas da cidade perdida, depois de levantar as calças", em vez de sentada num casebre. Não acho que tenha sido materialista ou supérfluo... apenas parvo, como de costume. Depois, respondeste assumindo uma visão minha que não é real, mas que tu assumiste para defender a tua visão e foi aí que partiu a confusão com as coisas materiais e a existência de metas.
Eu não penso que vou andar mesmo a fugir da polícia chinesa quando for velho, mas gosto de acreditar que vou fazer algo do género, pelo menos no mesmo nível ou achas que vou sentir-me frustrado se não conseguir mostrar o cú e conseguir fugir da polícia?

As metas são importantes para mim na medida em que definem um rumo, um sentido que eu quero dar á vida e que depende de mim e do facto de fazer alguma coisa.
Quando eu critiquei o casebre, critiquei por teres um sonho - que, como tu disseste, é propositadamente limitado para tu ficares contente com o que alcançares a mais. Disseste tu: "SE tu fizeres grandes planos e por qualquer motivo te sairem furados vais-te sentir desanimado."

Acho que para sonhar há que ser em grande, porque pior do que fracassar algo grande é fracassar algo pequeno. imagina que não consegues sentar-te num casebre, porque tem artrite e não consegues dobrar as pernas, imagina que não consegues realizar esse sonho tão pequeno... acho que é pior do que não concretizar um sonho gigante, não? Porque os grandes sempre podes racionalizar, dizendo que era tão grande que era quase impossível, já os pequenos...

(Continua)
Brown Eyes disse…
johnny tu querias que eu acreditasse que aos 85 anos ainda vais continuar com essa mania de tirar uma foto ao traseiro em cada terra que visitas? My God não acredito!!!! rssss
Essa tua mania vai acabar, ai vai.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
Outro coisa Homem eu não disse que tu eras superfulo nem tão pouco materialista. Expliquei-te aquela frase. Já te disse que eu sei que tu não és nada disso. Quem é assim não discute, impõem. Tu gostas é de trocar ideias e fazes tudo para isso e como inteligência não te falta não é difícil conseguires encontrar uma frase menos clara que te dê pano para mangas. rssss
Beijinhos
johnny disse…
Quanto às coisas materiais, como disse, acho que são importantes, na medida em que permitem que o nosso interior se sinta satisfeito. Agora, também como disse, essas coisas só podem ter a importância que lhes damos e não deixarmos que as coisas que queremos obter/fazer, seja escrever um livro, saltar de pára-quedas, viajar, ter um carro ou um blogue, definam aquilo que somos, mas que sirvam, como algumas destas e coisas e outras que não são faladas serviram, servem e servirão para me melhorar como pessoa.

Dizes: "o meu sonho hoje é ter tempo para amar, dedicar-me às pessoas como elas merecem."

E este "merecem" diz muita coisa, porque várias vezes no teu texto falas dos outros e de como a tua felicidade se desenvolve a meias com a felicidade dos que te rodeiam. O que é bom, mas viver em função dos outros também pode levar a desilusões e ao fracasso, muito mais até do que aspirar a coisas grandiosas, porque se há coisa que sei é que toda a gente acaba por nos defraudar, não que tenham culpa disso, nestas coisas não há culpa, mas porque as expectativas de uns e de outros nunca coincidem com a realidade.

Isto para dizer que a desconfiança natural que tens te possa levar a desconfiar da minha visão ou de tudo o que te aproxime de um modelo falhado que poderás ter conhecido, mas não quer dizer que se enquadre naquilo que eu disse:

Agora vamos novamente àquilo que eu disse e ao vídeo

(Continua)
johnny disse…
Eu discordo disto "SE tu fizeres grandes planos e por qualquer motivo te sairem furados vais-te sentir desanimado. Se fizeres planos normais e obtiveres muito mais vais-te sentir incentivado. Nos meus planos está um casebre, até porque para mim a vida espiritual é mais importante que a financeira, se vier um palácio melhor ainda. O segredo da felicidade está aqui: não exigir demais da vida. Beijinhos"

E discordo porque acho que se devem fazer planos, não no sentido de os teres de concretizar, mas sim de saberes o que gostarias de fazer caso tivesses oportunidade e para teres motivação para lutar, para correr, para viver.
Daí o vídeo, de alguém que vai morrer, mas que olha para trás e vê que fez algo da vida, que vê que fez e cumpriu grande parte dos seus sonhos.
Não gosto de conformismos, ainda que me digas que não és, como disseste quando não me estavas a chamar supérfluo, mas argumentaste sempre nessa direcção daquilo que tu acreditavas por oposto ao financeiro, ao material e ao supérfluo :) eu sei que não sou, mas estavas a discutir com quem?
Podes não ser conformista, mas na tua argumentação disseste: "O segredo da felicidade está aqui: não exigir demais da vida. Beijinhos"

Não, Mary, lamento, mas não está. Tens de exigir o máximo, porque senão vais ficar toda feliz no teu palacete, pensando que até esperavas que fosse num casebre e acabou por ser melhor, mas a olhar para trás e ver que - tirando a parte da família - não tiveste planos, metas, mesmo coisas materiais para fazer, coisas grandes que te envolvessem só a ti, pois como mostra no vídeo, a família é uma coisa grande, grandiosa mesmo, mas é apenas mais um sonho que ele tinha, logo ao lado do sonho de estar em gravidade zero.

Não penses que estou a dar menos importância à família, eu percebo muito bem a diferença no olhar de um pai quando tem um filho, mas no fim de contas somos nós e morremos sozinho e continuo a dizer que "Não gosto dessa "sentada à porta de um casebre", pelo menos no que me diz respeito, porque preferirei muito mais "a fugir da polícia chinesa pelas ruas da cidade perdida, depois de levantar as calças"... mas são gostos e formas de encarar a vida que têm de se aceitar."

Desculpa se exagerei, tendo a fazê-lo frequentemente.

Beijo
Gingerbread Girl disse…
Se o Joni aos 85 ainda andar a postar fotos com o c*zinho ao léu, tiro-o do meu blog roll.

Anyways... isso de viver uma felicidade dada por "outros"... só se é verdadeiramente feliz quando temos com quem partilhar a nossa felicidade e as nossas coisas, nem que seja uma simples cabana.
Gingerbread Girl disse…
Ai carago que ele escreveu "(continua)"!
Só agora é que vi.

Valham-nos todos os santinhos.

ups*
Brown Eyes disse…
Há aí uma coisita sobre mim que não compreendeste: Não vivo, hoje, em função de ninguém, já vivi. Penso exactamente como tu: viver em função de alguém pode vir a trazer problemas não só porque a outra pessoa nos pode decepcionar como também porque, nesta vida, tudo se pode modificar. Por isso, mesmo tendo pessoas que amo, faço questão de manter a minha independência, a todos os níveis. Independência que sempre tive, mesmo preocupando-me com a felicidade dos outros. Há uma coisa que já disse várias vezes, não gosto de ninguém tanto como gosto de mim. Ter tempo para amar e dedicar-me a quem amo e me ama não significa anular-me. Pode haver amor e dedicação sem te anulares ou subjugares. Amor para mim não tem esse significado. Achas que alguém como eu se deixaria anular ou subjugar? NUNCA. Muito menos hoje. Estes temas são muito confusos de explicar assim. às vezes esquecemos coisas importantes que levam o outro lado a não perceber e como sou distraída às vezes perco-me nas ideias. E quando se estão a abordar vários assuntos mais acontece. Agora, esquecendo tudo, falando apenas nas decepções que vamos sofrendo. Sabes porque as sofremos? Porque não ligamos a pequenos nadas que muito dizem. Tanto que é assim que, depois de decepcionados, acabamos por recordar coisas que muito te transmitem. Quando amamos ficamos um pouco cegos e claro deixamos por ver muita coisa. Fiz uma reflexão profunda sobre a minha vida amorosa que me permitiu concluir que não devia deixar passar um único erro porque essa passagem levaria a outros maiores. Vivo com uma pessoa há seis anos e se te disser que não tenho uma única má palavra para recordar és capaz de não acreditar mas é verdade. O segredo está na abertura que houve desde o principio, no amor que existe, na nossa idade, na nossa inteligência, no respeito que temos um pelo outro. O segredo está também na dedicação que temos um pelo outro sem nunca perdermos a nossa liberdade individual. Eu respeito-o e confio nele e ele idem. Uma das piores coisas que se pode fazer é deixar que nos roubem a liberdade e a nossa individualidade. Mas o amor, tal como uma flor, precisa de ser cuidado, se amas e não te dedicas a esse amor ele morre e é a isso que dou hoje mais importância que dei ontem. Dou porque aprendi e dou porque essa pessoa além de merecer incentiva-me a isso. Enfim mais um tema muito vasto.
Beijinhos
Brown Eyes disse…
ahahahahah O segredo está em não esperares demais da vida e dos outros. Não penses que todos são bem sucedidos, não são. Principalmente alguém que quer lutar sozinha, é mulher e não quer ajudas não consegue com facilidade cortar caminho. Eu não posso sonhar muito alto porque tudo o que tenho e consegui saiu da pele e de muita luta. Eu não sou conformada, a Ginger conhece a minha vida, um pouquito da luta que travei. Quem me conhece e te ouvisse dizer que eu sou conformada ria-se. Estou a dar-te uma ideia então errada de mim. Não sou conformada mas sei analisar todos os factores, sei que os meus sonhos, para se realizarem têm que depender apenas de mim, aí vem a minha independência ao de cima e não estou para me esfolar por coisas banais. Foi isto que te quis dizer. Eu exijo o máximo de mim, não da vida. Da vida sei que não posso exigir nada porque, a qualquer momento, tudo se pode modificar e eu ficarei arrasada. Se nada exigir dela, nada poderei esperar, portanto, tudo o que vier me trará felicidade.
Espero que tenha explicado bem a minha ideia. às vezes sei que não o faço da melhor maneira.
Quanto à família, ela tem importância na tua vida, ela pode ser um incentivo para ti ou pode ser a primeira a derrotar-te. Aqui também tenho uma ideia muito diferente da maioria das pessoas. Quantas vezes só conseguimos crescer quando nos afastamos da familia? (família englobo tudo, inclusive pais) Quantas vezes é a família que suporta os teus sonhos? Depende da família e é um erro pensarmos que a família é o nosso maior tesouro, pode não ser. Pode não ser e este erro é aquele que percebes tardiamente porque nasceste a pensar que a família era muito importante na vida de uma pessoa.
Eu sei que não gostaste do casebre e não gostaste porque te dói encontrares-me um dia velhinha, de bengala, sentada à porta de uma casebre. Foi esta a imagem que passou pela tua cabecinha.
- Olha ali a Mary, coitadinha, velhinha e a viver em tão más condições.
Sei que correriam as lágrimas por essa cara.
johnny com o sistema da segurança social falido o que nos espera?
Se não puderes trabalhar até morrer que te espera?
Ou fazemos uma poupança paralela ou vamos viver num casebre na melhor das hipóteses. Como vivem hoje os nossos velhinhos?
Quem me dera poder fugir da policia chinesa, nem que fosse por andar a baixar as calças. Poder fugir e ter uma visão cómica da vida é o que todos esperamos que aconteça.
Tu não queres que eu, nem de velha, me conforme. Não é? OK, já percebi a tua ideia. Nem com as doenças que vierem por aí?
Para finalizar este comentário do comentário vou dizer-te, mais uma vez, desta directamente: Tu deves ser um menino com um coração de ouro porque te aflige MUITO que aqui esta velhinha possa não ter todas as condições, que não lute por elas, que se apague.
Não johnny não é e não será assim. Tenho é que ser ponderada, não?
Beijinhos
johnny disse…
Concordamos sempre todos, até concordo a anjinha da Ginger na parte da felicidade partilhada, mas a questão é uma: ganhei?


Quanto a essa coisa da pessoa com quem estás e dos 6 anos... só dizes isso porque ele costuma ler o blogue. Estou a brincar, aliás, acho perfeitamente plausível.
Brown Eyes disse…
Ginger a preocupação do johnny foi a porcaria do casebre. Ele não me quer ver sentada à porta de um casebre. Não é esse o futuro que ele quer para mim. Essa ideia faz-lhe doer a alma. Acha que não devo conformar-me a esse ponto. Menino lindo este, não é? Casebre liga a más condições de habitabilidade, etc. Percebes? Como não hei-de eu gostar dele.
Ele acaba por ter razão. Este tema tem muitos pontos a abordar. Eu com trinta anos também via as coisas de outra maneira. É impossível abordar tudo o que me fez e faz ter esta visão da vida. Como dizes se formos felizes que interessa a cabana? Termos paz espiritual é o mais importante. Essa paz espiritual, para se conseguir, depende de pessoa para pessoa.
sabes como é o johnny, não? Ele vai ter que ganhar. rsss
Beijinhos
Brown Eyes disse…
ahahahah Eu sabia, eu sabia que querias ganhar. rssss
Que te disse Ginger? Vou ter que lhe dar a vitória senão já não dorme.
johnny claro que não estás completamente errado, claro que eu percebi a tua preocupação com o conformismo. Claro que concordamos e que percebemos os diferentes pontos de vista e o porquê das suas existências. Se calhar é mais difícil para ti perceberes-me, não conheces a minha vida, o porquê de certas ideias, a Ginger já me entende melhor, não é fácil em poucas palavras transmitir-te tudo. Depois acabas por perceber mal o que digo, como a parte em que falei das pessoas que pensam só no material. Falei para ti, para te explicar o meu ponto de vista, mas não estava a falar de ti. Falava na generalidade e de alguém que dizem ser família. Já ficaste com mais umas luzinhas? Quem sabe um dia fiques com as luzes todas. Já pensei falar no assunto, até porque alertaria muita gente, mas eu em alguns aspectos sou um pouco burra. Esse é um deles. Apesar de muita coisa ser diabólica, eu saber disso, custa-me expor, por eles, o diabólico da questão. rssss Percebido? Se calhar não. Com tanto diabólico não sei se consegues entender. Família para mim devia ser família mas nem sempre é.
Quanto a essa pessoa falo porque é assim e tu sabes que é, não estás a ver a Mary a mentir estás? rssss
É uma pessoa excepcional que muito contribuiu para a paz que tenho hoje. Ajudou-me a tirar certas conclusões. Olha sobre diabos por exemplo. Por mais força que se tenha às vezes precisamos que nos abram os olhos e nos ajudem a ver o caminho certo. É que temos, muitas vezes a tendência de tropeçar muitas vezes na mesma pedra, principalmente quando essa pedra é aquela de que te falei há pouco. Não há pedra nenhuma que valha mais que tu, não é? Chame-se ela como se chamar. Estares tu a chamar-lhe Pedro(exemplo) e ele não se comportar como Pedro é estares a ser burro não? Era isso que eu era. Muda agora o Pedro para... e terás a resposta a muita coisa.
Beijinhos
Gingerbread Girl disse…
Pois... o problema foi o "casebre".
Se tivesses escrito "condomínio fechado à beira mar com serviço de quartos e SPA", não tínhamos "perdido" este tempo todo.
:D
Brown Eyes disse…
ahahahah pois era. Pior é que ninguém ia acreditar que a Mary pensasse assim. Mas tens toda a razão. O Johnny ficaria deslumbrado a ver-me, sentada, à porta de um condomínio fechado e poria aquele sorriso de felicidade no rosto. Assim lixei tudo, foi testamento atrás de testamento. rsssss
Beijinhos
Pedrasnuas disse…
LI-TE E GOSTEI DESTA FORMA SOLTA E LIVRE DE ENCARAR UMA FASE DIFERENTE DA VIDA...APROVEITAR AS CAPACIDADES QUE AINDA TEMOS...QUE PODEM SER MUITAS E DAR ASAS À CRIATIVIDADE,À IMAGINAÇÃO...
O QUE ME ASSUSTA SÃO AS DOENÇAS INCAPACITANTES...ISSO SIM.
EU VEJO O PROGRAMA DO SALVADOR,NA RTP1,UM JOVEM QUE APESAR DE SE ENCONTRAR NUMA CADEIRA DE RODAS É MUITO ÚTIL A OUTRAS PESSOAS QUE SE ENCONTRAM EM IGUALDADE DE CIRCUNSTÂNCIAS...MAS O SALVADOR É UM RAPAZ MUITO APOIADO POR TODOS....E ISSO É MUITO MAS MUITO IMPORTANTE.

O TEU TEXTO ESTÁ BEM CONSEGUIDO E MOSTRA A MULHER QUE ÉS; COMBATIVA E CORAJOSA.

BOM DOMINGO E BEIJINHOS
Manuela Santos disse…
Olá,
Gostei bastante do texto...não é assim tão dramático, se o espírito se mantiver jovem e não nos deixarmos impressionar pela idade, eu nunca penso muito na idade que tenho...o tempo passa muito depressa, vamos vivendo, nem há tempo para grandes preparações!...
Beijinhos,
Manuela
Olga disse…
Linda, vai ao meu blogue tenho uma receita nova que podes fazer sem bimby e mais dois selitos para te oferecer, isto é que vai aqui uma chuva de selos... beijinhos
Brown Eyes disse…
Pedrasnuas as doenças incapacitantes podem chegar em qualquer idade, nós é que temos a tendência de as ligar à velhice. Eu acho que a etapa da vida que devíamos temer mais é a infância, já que estamos indefesos e, aí sim, completamente dependentes dos nossos progenitores. Não temos, nessa altura, nem oportunidade para ter medos. Não será?
Beijinhos e obrigada pela visita.
Brown Eyes disse…
Manuela claro que não é, tudo depende da nossa força de viver e da maneira como vemos as alterações. Tudo, nesta vida, tem um lado positivo, é só abrirmos a mente que o encontramos. Aceitarmo-nos é importante para se ser feliz, em qualquer altura da nossa vida. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Olga passarei lá. Obrigada por todos os miminhos que me tens dirigido.
Beijinho Grande
JPD disse…
A velhice vai chegando... Uma falta de memória, uma desconcentração...até que a ameaça de doença e de situações de uma certa indignidade por falência fisiológica chegam a deitar por terra os nossos planos.

É esse o grande temor de qualquer pessoa.

Saudações
Brown Eyes disse…
JPD porque não se lembram dos velhinhos que trabalham até à morte? Sabes que parar é morrer e muitos velhos é o que fazem, reformam-se e param. Depois há excepções das que tu falas mas, são excepções.
Beijinhos e obrigada
Olhos Dourados disse…
Havemos de lá chegar.
Pedrasnuas disse…
BROWN...OBRIGADA PELO CARINHO...FAZ SEMPRE BEM... NÃO,NÃO SOU FOTOGRAFA...A FOTOGRAFIA É A PAIXÃO MAIS RECENTE...E VEIO PARA FICAR. FICO A AGUARDAR PARA LER E APRECIAR O TEU SILÊNCIO...

MUITOS BEIJINHOS MEUS
Brown Eyes disse…
Olhos Dourados claro que chegaremos e sorrindo. Beijinhos
Brown Eyes disse…
Pedrasnuas se não és fotografa tens alma de fotografa. Tu tens fotos lindíssimas. O meu silêncio em princípio vai demorar. Tenho andado muito ocupada e vou de férias uns dias. Não escrevas, nem publiques muitas fotos senão quando vier vejo-me aflita para ver tudo, ok? Não gosto de perder os trabalhos dos bons autores e quando estamos ausentes durante algum tempo não é fácil ficar actualizado. Isto serve para todos os que visito. Beijinhos e Bom Fim de Semana
Também a espero assim: com a cara a dar e sorriso no olhar.
Feliz de quem conhece a velhice, porque muito viveu!

Obrigada pelas palavras amigáveis e pela força!

Beijo grande!

:)
Brown Eyes disse…
Ana Cristina obrigada pelo teu comentário que muito valor tem para mim, sei que ainda te estás a restabelecer. Um beijinho grande e descansa muito.
Mika disse…
Aceitar que um dia o passo será mais curto...é acertar o tempo ao ritmo do novo passo. Sorrir ao pensar nisto, é continuar a caminhada tranquila.
Abraço

Miguel
Brown Eyes disse…
Mika exactamente. Tudo o que aceitarmos tranquilamente, com um sorriso, chegará com tranquilidade.
Obrigada e beijinho

Mensagens populares deste blogue

Fotoshop, para quê? Continuas Feia por Dentro!

Em primeiro lugar, vou pedir desculpa a quem costuma passar por aqui. Quem o faz sabe que há atitudes que me revoltam e que por isso...Vou desabafar. Tenho andado super, super indignada com certas publicações no facebook de uma pessoa que conheci há muitos anos, tantos que até já me esqueci. Trago essa pessoa atravessada porque foi e é, não acredito em milagres, a pessoa mais ordinária que conheci e que, infelizmente, tive que lidar de muito, muito perto. Há um tempo atrás descobri uma página dela no facebook (se cometer algum erro  não se admirem, sou uma dessas excepções que nada percebe sobre o facebook) e daí para a frente as publicações e até as páginas (os nomes também vão mudando) têm mudado (faz-me lembrar aquelas pessoas que passam a vida a mudar de número de telemóvel, sempre que querem fugir de alguém mudam de número de telemóvel). Muda tudo mas, a frase de apresentação vai mantendo o mesmo sentido, mais coisa menos coisa, a última é:
Sou amante do Universo, da paz, do conh…

Carnaval de Vermes