Avançar para o conteúdo principal

O Ninguém e Eu



Um dia, daqueles que queremos negar tudo e todos, resolvi escrever sobre ninguém (uma síntese total deste ser)  e como ninguém. Há alturas que tenho uma vontade férrea de ser igual a ninguém. Esse ninguém que é sempre inocente, esse ninguém que é cego surdo e mudo. Esse ninguém que tanta revolta e tanto ódio cria em mim. Tantas lutas que tenho travado com ninguém e contra ninguém!
"Não sou filho de ninguém e ninguém são meus pais. Ninguém é responsável por mim, eu não sou responsável por ninguém. Não esmago ninguém, ninguém é esmagado por mim. Não espero a ajuda de ninguém e é a ninguém que eu ajudo. Não me lembro de ninguém e ninguém é lembrado por mim. Não vivo para ninguém, ninguém vive para mim. Não governo ninguém, nem ninguém é governado por mim. Não me sacrifico por ninguém e ninguém se sacrifica por mim. Não ouço a recriminação de ninguém e ninguém é recriminado por mim. Não espero nada de ninguém, ninguém espera nada de mim. Não sou apoiado por ninguém e ninguém é apoiado por mim. Ninguém vive para mim nem eu vivo para ninguém. Não sei de ninguém, ninguém sabe de mim. Não trabalho para ninguém e ninguém trabalha para mim. Não vi ninguém e ninguém me viu. Não amo ninguém, ninguém é amado por mim. O meu futuro não é de ninguém e o de ninguém é o meu."
Ninguém assume totalmente ninguém. Assumem, apenas, a parte cómoda dele.
Porque hei-de eu insistir em ser alguém em território de ninguém? Seria tão feliz como ninguém, armada em alguém. 

Brown Eyes

Comentários

Anne disse…
lindo. muito bonito. dava uma música.
e hoje sinto me um pouco como ninguém, insignificante...
bjs.
Mulher a 1000/h disse…
Todos nós somos ninguém e alguém... é uma questão de ponto de vista... mas acho que o ninguém tem para mim um lado em branco, que me assusta um pouco... eu confesso, que na generalidade das vezes o alguém cai bem melhor do que o ninguém! ;)
Gingerbread Girl disse…
Que bonito Mary!
Lindo mesmo... mas ambas sabemos que não nos está isso na natureza. ;)

bjinho*
Brown Eyes disse…
Anne às vezes é assim que nos sentimos mas, não traduz a realidade, um ninguém nem sentimentos tem.
Obrigada Anne. Um beijinho
Brown Eyes disse…
Sílvia é precisamente esse lado em branco que por vezes nos dá vontade de ter. É muito mais cómodo e não compromete. Ser alguém é uma luta constante.
Um beijinho para ti e para a menina
Brown Eyes disse…
Ginger pois é. Por mais que queiramos é impossível. Quando damos conta está o alguém a falar. Este ninguém tira-nos do sério, não é?
Beijinhos grandes para todos, não te esqueças do Max.
meldevespas disse…
Bonito de facto. Mas triste. No entanto acho que te esqueceste de virar a mesa rapariga! Afinal de contas ninguem é igual a ti, ninguém te pode derrubar, ningué cala a tua voz, ninguém castra a tua vontade. às vezes até pode n ser bem assim, mas ningém nos pode impedir de sonhar.
Beijo Grande
J.P. disse…
Faz-me lembrar aquela frase:
"Não faças aos outros o que não queres que os outros façam a ti."
A negação, a ausência, a passividade, a não intervenção.
Essa frase deveria perder o não.
"Faz aos outros o que queres que os outros façam a ti."
Durante bastante tempo da minha vida, deixei-me reger pela frase de cima. Algures durante o meu caminho, tomei consciência, apercebi-me que seguindo esse principio, seria como se a interacção não existisse, ignorando simplesmente o que se passava á minha volta, como se a nossa sociedade fosse feita de pedaços e não de um todo.
Começou a ser uma preocupação para mim, tirar o não da frase. Afinal, nós somos alguém, tanto para nós como para os outros, e os outros, alguém para nós também.

Beijo e bom fim de semana,
Helel Ben Shahar disse…
Compreendo o ponto de vista de seres ninguém e de te comprometeres com ninguém, mas, no fundo, como decerto sabes, apesar de tudo, seria um tédio de morte. ;)

Bom fim-de-semana!
Brown Eyes disse…
Mel percebi a tua ideia. No post digo que travo lutas enormes contra o ninguém. Travo-as porque de ninguém não tenho nada. Assumo todos os meus actos, os ninguém são peritos a fugir, e não consigo olhar para o que está errado com olhos de quem não está a ver. Não consigo calar-me, é mais forte que eu. Como digo seria tão feliz como ninguém, armada em alguém. É que os ninguém julgam ser superiores aos alguém, pensam até que os alguém batem mal. Para quê comprometerem-se?
Um beijinho Mel e sei que há por aí post novo, passarei por lá.
Brown Eyes disse…
Nós somos alguém, no sentido de existirmos, mas podemos ser ninguém se não colocarmos amor nas nossas atitudes. Impossível amar sem nos preocuparmos com o mundo que nos rodeia, não é?
Brown Eyes disse…
Helel pois seria e não só, eu sentir-me-ia uma nulidade. Mas concordas que é uma vida fácil, não é?
J.P. disse…
Se não nos preocupamos com o mundo que nos rodeia, é porque a insensibilidade tomou conta do nosso coração. E assim, o egoísmo toma o lugar do amor na nossa maneira de estar na vida. Vivendo desta forma, passamos a ser alguém que, de facto, é ninguém.
Esquece-me de salientar uma coisa muito importante:
O texto está excelente!
Brown Eyes disse…
Exacatamente JP. Há por aí tantos!Obrigada pelo elogio.

Mensagens populares deste blogue

Ineptocracia

Num dia particularmente pesado, para mim e para milhares de cidadãos deste país, não podendo estar calada e com uma enorme vontade de perder o controle e dizer umas  "carvalhadas", decidi publicar este novo conceito que recebi há uns dias por e-mail:
Ineptocracia: "Sistema de governo onde os menos capazes de liderar, são eleitos pelos menos capazes de produzir e onde os membros da sociedade com menos chance de se sustentar, ou ser bem sucedidos, são recompensados com bens e serviços pagos pela riqueza confiscada, de um número cada vez menor de produtores." autor desconhecido
Que podemos esperar de uma ineptocracia?
O melhor é não responder porque não seria nada agradável de ler mas, posso garantir que, neste país, o glutão não come nódoas.

Brown Eyes

Carnaval de Vermes

Laços de União

Um dia destes, numa conversa entre casais, alguém brincava com o facto de o  marido da "A" a trair (A "A" é doméstica) ao que ela respondeu:

- Desde que ele não me falte com dinheiro, nem a mim nem aos filhos.

Já ouvi esta frase milhares de vezes.

Que sentimentos existem nesta relação?
Que fará esta mulher no dia que o marido faltar com dinheiro em casa ou que decidir sair?
Como se chama o sentimento que liga este casal? Amor ou conveniência?

Cada cabeça sua sentença.