Avançar para o conteúdo principal

A Importância do Tempo

O tempo é tão importante como o ar que respiramos. Dizem que o tempo cura tudo mas, para mim, ele aclara, desmascara, descobre e  faz surgir a falsidade. 

Quer queiram quer não, a vida não é um teatro portanto, o pano não cai quando termina a peça, cai quando os outros o arrancam.

Pensar que somos tão espertos que passaremos uma vida a atraiçoar os outros é, sem dúvida, um pensamento  demente, para não dizer psicopata.

Ninguém sabe tudo. Normalmente, quem julga que sim acaba por cair de um arranha-céus e jazer num solo infértil.

Quem tanto apregoa ser livre é o cobarde, o maniatado, aquele que nunca soube o que era ter personalidade, querer e enfrentar tudo o que surge na vida, resultado dos seus atos. Tem sempre alguém a seu lado, não consegue viver só. Assim, pode  atirar a culpa ao outro. Adora esconder-se atrás da cortina.

Estes, o melhor é procurarem uma besta, só ela conseguem ter a seu lado. Os antolhos só a deixam ver, e mal, o que está à sua frente.  

Dizem-se modestos, simples, moderados nas suas atitudes, que procuram o equilíbrio, a harmonia e que adoram ouvir os outros.
Cuidado! São precisamente ao contrário: São pretensiosos, arrogantes, complexos, desmesurados nas suas atitudes, desequilibrados, desarmónicos, e adoram ouvirem-se a si próprios porque, pensam, que eles são os únicos donos da verdade.

A pessoa livre é aquela que vive com a verdade (a mentira nunca a amarra), que é justa, que valoriza a sabedoria dos outros, que tem valores, que não é calculista, que nunca age segundo proveitos mas sim pela vontade. Ela sabe amar, sabe ouvir, sabe que ninguém tem a sabedoria total, tem dúvidas e ouve a opinião dos peritos, no assunto em questão. Conseguem viver sós. O subconsciente delas trabalha corretamente e fornece informações ao consciente baseadas nos valores que ela tem e aos quais dá primazia. Ouvem o subconsciente e por isso são intuitivas. Impossível enganá-las. Sabem como avaliar as atitudes dos outros, pela intuição e pela experiência, delas ou de vivências alheias.
Quando elas dizem alguma coisa, sabem o que dizem e porque o dizem e sabem, também, que se cumprirá. De contrário, mantêm-se caladas a avaliar a situação. Após a avaliação não dizem o que vão fazer, agem.

Felizmente ainda há quem não seja calculista, mentiroso, trapaceiro e interesseiro.

Até quando?

Afinal estes últimos já ultrapassaram os 90%, com certeza, e não são responsabilizados pelos seus atos.

Os outros, 10%, mantém-se convictos que nada nem ninguém os conseguirá comprar. Muitos deles, acabam a vaguear pelas ruas.  Alguém os enganou e roubou mas, não se deixam contaminar.

Esse alguém nunca tem nome, mas existe. Todos os conhecemos.

 É o tempo que nos traz o conhecimento, a alguns, outros, por mais que o tempo passe por eles, continuam coagidos pelo invólucro de um bombom do qual desconhecem a composição.

Não é que, por vezes, dou por mim a sentir pena destes seres? É a sensação que me fazem experimentar: Pena.

Comentários

chica disse…
Lindo texto e o tempo é danado para algumas coisas ,mas é através dele que passa e nos faz melhor ver e perceber o nosso redor! beijos, chica e tudo de bom! chica
Tempo
a memória que temos...

Este texto devia ter sido dito hoje em Portalegre, mas não esteve lá quem fosse digno
de o ter lido
Brown Eyes disse…
Chica estás bem? Espero que por aí tudo esteja a correr pelo melhor. Eu vou andando, mais dias pior que melhor mas desde que acordemos todos os dias já é bom. Otimismo não me falta e pouco tempo estou no chão porque vou buscar as forças não sei onde para me levantar.
Chica nem todos aprendem com o passar dos anos, há pessoas, com uma certa idade, que ainda pensam e agem como crianças e para elas os atos nunca têm consequências e até brigam pelos brinquedos dos vizinhos e só descansam quando lhes tiram tudo. Vivemos numa sociedade de gente oportunista, calculista, invejosos mas, pior que tudo, é que eles acabam por se safar sempre.
Um beijo e tudo de bom para ti.
Brown Eyes disse…
Rogério tanta gente que devia ler este texto! Não tenho a certeza é que eles aprendessem alguma coisa. Essa gente só ouve o que lhes interessa.
Beijinhos e obrigada
Fernanda Maria disse…
Concordo inteiramente.


Amiga, já é tempo de "matar" esta distância (:

Beijinho
Brown Eyes disse…
Fé há tanto tempo que não sabia nada de ti. Como ando sempre cansada vou deixando passar o tempo e pensando muito em ti e na Rejane. Porque nada sabia de vós.

Amiga se estou a pensar corretamente digo-te que é impossível matar essa distância, ela cada vez aumenta mais.

A maioria vence sempre e como estamos em minoria...Não há nada a fazer. Esta sociedade é para eles e quando imaginamos que encontrámos alguém diferente, porque eles são uns manipuladores, enganamo-nos.
Beijinhos cheios de saudades tuas.
Fernanda Maria disse…
Amiga espero sinceramente que apesar de cansada estejas bem assim como os teus queridos.

Vou indo também tentando vencer as vicissitudes da vida . Abraço apertado!
Brown Eyes disse…
Fé vai-se andando. Bem não estou mas, tento vencer os espinhos.
Beijinho Grande

Mensagens populares deste blogue

Laços de União

Um dia destes, numa conversa entre casais, alguém brincava com o facto de o  marido da "A" a trair (A "A" é doméstica) ao que ela respondeu:

- Desde que ele não me falte com dinheiro, nem a mim nem aos filhos.

Já ouvi esta frase milhares de vezes.

Que sentimentos existem nesta relação?
Que fará esta mulher no dia que o marido faltar com dinheiro em casa ou que decidir sair?
Como se chama o sentimento que liga este casal? Amor ou conveniência?

Cada cabeça sua sentença.

A Quien le Importa...

Numa sociedade em que se corre, uns atrás dos outros, não se olha para quem cai, no caminho, atropela-se tudo e todos para se conseguir um único objetivo "TER". Ter para mostrar que se é ALGUÉM; Numa sociedade onde as fotos deixaram de ser recordações para serem ostentações. Há que publicar tudo, até a chávena de café que tomamos pela manhã. Fotos que nunca entrarão no nosso álbum. Numa sociedade em que os vizinhos são apenas estranhos, que vivem atrás da porta que fica ao lado da nossa. Vizinhos que morrem ou se mudam, sem nunca ninguém sentir a sua falta. Numa sociedade onde os amigos são números que se somam sem rosto palpável, chegando-se, até, a contratar empresas constituídas para os comprar. Os likes têm que aumentar, nem que para isso tenha que mostrar o corpo nu ou em pose provocante, ou, ainda me coloque em cima do capô do Ferrari que encontrei estacionado à frente da pastelaria onde tomei café. Numa sociedade onde a liberdade é tanta que se pensar em comprar um c…

Recordações e Sonhos

Acaba o ano e tendemos a recordar os melhores e os piores momentos do ano que passou ou dos que passaram.  Há vozes que nunca esquecemos, momentos belos que passamos ao som de uma música e a Susi Quatro foi, para mim, uma das vozes que marcou a minha adolescência. É ao som da voz dela que me despeço do ano 2018 e que espero o ano seguinte. A única mudança que peço para 2019 é a satisfação dos meus sonhos. Tenho muitos, se calhar demasiados.  A nível mundial que se comece a pensar só no ser humano, que deixem de o manipular e que se comece a preocupar, verdadeiramente, com o seu bem estar, com a sua saúde e com todos aqueles que não têm onde dormir ou até que comer.  Que acabe a conversa e se comece a agir, pelos seus interesses e lhe sejam dadas as oportunidades que todos devíamos merecer.